Tecnologias combinadas são usadas para o rejuvenescimento e no combate à flacidez

Foto: Divulgação

“Corpo são, mente sã”. O cuidado com a aparência e bem-estar faz cada vez mais parte da vida das pessoas, independentemente de sexo, idade ou época do ano. Mas nem sempre o que se vê no espelho é o que se deseja. A insatisfação pode ser resolvida a curto prazo, de forma não invasiva e indolor.

Em muitos casos, os equipamentos utilizam mais de uma tecnologia, com o objetivo de otimizar os resultados. É possível, por exemplo, unir luz pulsada, radiofrequência e microagulhamento para um melhor resultado no rejuvenescimento, com melhoria da textura e tônus da pele do corpo e do rosto, e também para o tratamento de cicatrizes e lesões.

O equipamento da Viora, fabricado em Israel e presente em consultórios e clínicas de estética de todo o país, se beneficia de algumas dessas tecnologias em suas ponteiras. Além dos benefícios destacados, é possível utilizar o aparelho para reduzir gordura, tratar a flacidez causada pelo emagrecimento intenso, bem como a flacidez vulvar.

“A flacidez é tratada com maestria. Isso porque o Viora faz a pele aquecer até uma temperatura que desnatura o colágeno e estimula o aparecimento de uma nova proteína, podendo ser aplicado em qualquer região do corpo que precise de um estímulo de colágeno para combater flacidez. Além disso, se combinado com a luz pulsada e o microagulhamento, permitem renovar a superfície e a penetração de ativos que agem na melhoria das manchas e cicatrizes. A pele fica mais firme a cada estímulo”, destaca a médica dermatologista Patrícia Rittes, que faz uso da tecnologia em sua clínica em São Paulo.

O tratamento com esse tipo de aparelho dura de quatro a seis sessões, realizadas a cada quinze dias, e a médica garante que os resultados das estimulações já começam a aparecer a partir das primeiras sessões, com um rejuvenescimento da pele. O pós-tratamento é totalmente sem downtime, ou seja, não é preciso pausar a rotina e as atividades do dia-a-dia. O objetivo é entregar, após a experiência, uma pessoa renovada, segundo Patrícia Rittes, em corpo e mente.

“Quando nos sentimos mais atraentes, passamos a aceitar melhor os desafios diários da vida, em todos os níveis de exigência. E essa satisfação nos traz muita segurança”, conclui a médica.

- PUBLICIDADE -