Governo oferece recompensa de R$ 50 mil por informações sobre a morte de soldado da Rota

Francisco Cepeda/ Governo do Estado de São Paulo
- PUBLICIDADE -
C&C

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, anunciou nesta quarta-feira, 7, a transferência do seu gabinete da capital paulista para a cidade de Santos, no litoral A medida foi tomada como reação à morte do cabo José Silveira dos Santos, do Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep), vítima de disparos durante uma incursão no Morro do Tetéu, na cidade da Baixada Santista. Na mesma ação, outro agente foi baleado e precisou ser hospitalizado.

Derrite informou também que o policiamento em Santos será reforçado a partir desta quinta-feira, 8, e que o governo pode oferecer uma recompensa no valor de R$ 50 mil por informações relevantes que ajudem a localizar o suspeito de ter atirado e matado o soldado Wesley Cosmo, da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), na última sexta-feira, 2.

“A legislação permite que eu, como secretário da Segurança Pública, emita uma resolução e possa pagar até R$ 50 mil para qualquer pessoa física ou jurídica que tenha informação privilegiada e que traga para nós essa informação. Desde que ela se torne relevante para ocasionar prisão”, disse.

A transferência da cúpula de segurança para Santos representa o início da terceira fase da Operação Verão. “Em virtude desse falecimento (do cabo José Silveira), e da tragédia ocorrida contra o policial da Rota (do Wesley Cosmo), nós reforçamos a Operação Verão com o emprego de mais efetivo, com ações de inteligência para tentar localizar indivíduos que pertencem ao crime organizado”, destacou Derrite.

O chefe da pasta descartou que as ações configuram o início de uma nova etapa da Operação Escudo, deflagrada em julho do ano passado no Guarujá, após a morte de um soldado da Rota em confronto com criminosos. A ação durou 40 dias e terminou com 28 mortos. “Vamos empregar mais efetivo operacional do que aquele que já vinha reforçando a segunda etapa da Operação Verão”, afirmou.

Para esta terceira etapa da operação, estão previstos os deslocamentos de batalhões lotados em outras cidades, como o 15 º Baep (Guarulhos) e o 5.º Baep (Barueri). O 6.º Baep, da região do ABC, já estava atuando em Santos nesta quarta.

Nesta lista de reforços estão inseridos também mais policiais da Rota, agentes do Comando de Operações Especiais (COE, da Polícia Militar), unidades especiais da Polícia Civil, como o Grupo Especial de Reação (GER) e o Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), cujo efetivo, segundo o secretário, “vai ser empregado para combater o crime organizado”

Antes desta etapa da Operação Verão no litoral paulista, a pasta já havia deflagrado a primeira fase, que consistia em reforçar a segurança na região durante a temporada de férias, que costuma contar com a presença de turistas na região; e a segunda, em virtude da morte de Wesley Cosmo. O suspeito de assassinar o agente foi identificado, mas ainda se encontra foragido.

Segundo o chefe da pasta, depois da morte do soldado, na sexta, foram contabilizadas sete ocorrências de troca de tiros envolvendo criminosos e policiais.

- PUBLICIDADE -