Guarulhos receberá 34 mil doses da vacina contra a dengue

José Cruz/Agência Brasil

Guarulhos receberá 34.270 doses da vacina contra a dengue. O anúncio foi feito hoje pelo Ministério da Saúde. A imunização será iniciada pelas crianças de 10 a 11 anos e irá avançar a faixa etária progressivamente, assim que novos lotes forem entregues pelo laboratório fabricante.

O público-alvo da vacinação, o grupo de 10 a 14 anos, foi acordado entre os conselhos representantes dos secretários de saúde estaduais e municipais, seguindo a recomendação da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI) e da Organização Mundial de Saúde (OMS).

Segundo o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat), até o momento não há informação sobre a data em que os imunizantes estarão disponíveis para as administrações municipais e como será feita a distribuição das doses. Na área de abrangência do Condemat, 11 cidades foram selecionadas para receber a vacina.

O consórcio ressaltou que ao todo, a região deve receber 79.416 doses, número que, a exemplo do início da campanha de covid-19, é menor que o necessário para imunizar as crianças da faixa etária preconizada, com isso, os municípios estão avaliando estratégias de atendimento.

De acordo com a Nota Técnica divulgada pelo Ministério da Saúde, a vacina será aplicada em duas doses, sendo que a recomendação é iniciar a imunização pelo público-alvo com idade entre 10 e 11 anos. A pasta divulgou, ainda, que a segunda dose será enviada aos municípios posteriormente considerando o intervalo recomendado de três meses entre as aplicações.

O Ministério da Saúde esclareceu que a definição das cidades atendidas levou em consideração “municípios de grande porte (com população igual ou superior a 100 mil habitantes) que apresentam alta incidência de dengue no país. Isso inclui os demais municípios abrangidos por suas regiões de saúde, independentemente do tamanho populacional”. A pasta priorizou as áreas com predominância do sorotipo DENV-2 – recentemente emergente – e maior número de casos no período de monitoramento de 2023 a 2024.  

Embora exista o imunizante contra a dengue, o Ministério da Saúde reforçou em sua Nota Técnica que o controle do Aedes aegypti, seja pelas ações de combate ou prevenção, ainda é o principal método para evitar e controlar a dengue e outras doenças, como zika e chikungunya.

- PUBLICIDADE -