Marcelo Odebrecht teria doado R$ 150 milhões para a campanha de Dilma Rousseff

A declaração da doação foi realizada nesta quarta-feira (1), após o depoimento de quase quatro horas que Marcelo concedeu para Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo o dono da empreiteira Odebrecht, o dinheiro teria sido em caixa para a chapa no ano de 2014, sendo parte do valor pago para João Santana no exterior, ex-marqueteiro do Partido dos Trabalhadores (PT).

Além dessa denúncia, Marcelo revelou que teria conversado com o atual presidente Michel Temer (PMDB), a respeito de doações para o partido, porém, nessa reunião não foi tratado sobre valores. Outras campanhas também receberam recursos de caixa dois da empresa, como Aécio Neves (PSDB), Eduardo Campos (PSB) e Marina Silva (PSB).

A informação foi divulgada pelo site de notícias G1, pois o conteúdo dos depoimentos será mantido por sigilo neste momento pelo TSE.

O empreiteiro Marcelo Odebrecht, possui acordo de permanecer preso em regime fechado até o final deste ano, lembrando que Marcelo está preso desde junho de 2015, na carceragem da Polícia Federal no Paraná.
A assessoria de Dilma Roussef afirmou que as informações são mentirosas. Já Michel Temer, revelou que houve o jantar, porém não foi discutido valores, e houve doação da empreiteira para a campanha política do PMDB.