Setor de Homicídios prende suspeito de assassinar boliviana a facadas no Água Chata

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

Policiais do Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa de Guarulhos (SHPP), prenderam o peruano Anderson Júnior Rodriguez  Vasquez, 26, acusado de assassinar a facadas a boliviana Margarita Zurita Flores, 53, que foi encontrada morta por policiais militares no bairro da Água Chata. De acordo com a Polícia Civil, Vasquez já tinha dois antecedentes por furto.

O corpo de Margarita foi encontrado no dia 28 de junho, na rua Caminho Dezesseis, abandonado em um terreno. De acordo com o delegado do SHPP, Wagner Coimbra, o laudo do Instituto Médico Legal (IML), apontou que a vítima teve 16 lesões provocadas por faca. O corpo ficou no IML pouco mais de um mês até ser identificado pela vítima adotiva da vítima.

“O que nós tínhamos eram filmagens captadas a partir de uma empresa próxima, onde nós vimos um veículo de modelo Fox, na cor preta desovando o corpo. O que nos causou mais espanto é o horário, por volta das 14h30 em uma via movimentada”, destacou o delegado, alegando que a vítima era da cidade de Puerto Quijarro, próximo de Santa Cruz de la Sierra.

Os investigadores do SHPP pegaram filmagens de 15 pontos, além de traçar os possíveis caminhos que o veículo tinha percorrido, segundo o delegado. A prisão de Vasquez ocorreu no dia 18 do mês passado, no bairro da Vila Maria, zona norte de São Paulo, porém, o suspeito ainda segue em prisão temporária, podendo ser convertida para prisão preventiva.

“A filha adotiva veio e reconheceu o corpo da mãe. Ela já tinha realizado um boletim de ocorrência de desaparecimento no Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP). Segundo a filha, Vasquez era conhecido da mãe, que sempre vinha para o Brasil para se encontrar com ele e levar roupas”, destacou o delegado, alegando que a filha da vítima informou que Margarita teria sido furtado e acusava Vasquez de ter cometido.

Além de conseguir as filmagens do peruano pegando o carro utilizado no crime em uma agência na Vila Maria, Coimbra ainda afirmou que o suspeito também confessou o crime. “Ele confessou, e afirmou no depoimento que na verdade a vítima o acusava de um dinheiro que sumiu, e que teria se exaltado, tomando a faca que estaria com Margarita e desferindo diversos golpes”, revelou.