Câmara abre sindicância para apurar falhas técnicas que cancelaram sessão

O presidente da Câmara de Guarulhos, Martello (PDT), autorizou a abertura de uma sindicância para apurar problemas no sinal de internet, que inviabilizaram a transmissão da 46ª Sessão Extraordinária no dia 1º de setembro. Será feito também um diagnóstico técnico de toda a rede e de seus componentes.

A solicitação de abertura da sindicância foi do gestor de planejamento estratégico da administração, Sérgio Luiz Deboni. “Desde a mudança para esse prédio, a Câmara tem enfrentado inúmeras dificuldades de funcionamento e de prestação de serviços. Temos trabalhado praticamente de segunda a segunda, inclusive aos domingos, para tentar viabilizar a mudança e o funcionamento do Legislativo. Um dos maiores problemas é a instabilidade do sistema de rede e de internet. Até aqui, estávamos conseguindo viabilizar as Sessões, ora fazendo no plenário da Câmara, ora na sala da Presidência no sistema virtual. Hoje, quando tínhamos tudo preparado para realizar os trabalhos no plenário da Câmara, fomos surpreendidos, horas antes do início da Sessão, com um problema técnico que antes não existia, porque ainda que houvesse instabilidade, não era total. Justamente hoje, no dia em que seria discutido um assunto tão emblemático para a cidade de Guarulhos, que é a extinção ou não da Proguaru, aconteceu isso de forma radical, 100%. Não há condição de transmissão da Sessão, nem remota, nem presencialmente. Aí o presidente concluiu que precisamos esclarecer isso de uma vez por todas para a sociedade e determinou a constituição de uma comissão de sindicância, para a qual fui nomeado como presidente. Ele autorizou a contratação de uma empresa especializada, com prazo máximo de até 60 dias improrrogáveis, para dar um diagnóstico sobre a atual situação da rede e da internet da Câmara”, explicou o gestor.

Deboni comentou as primeiras providências para o início da apuração: “Convoquei o diretor da TI (Tecnologia da Informação), que fará um relatório e, com esse documento, vou contatar uma empresa especializada para fazer uma avaliação. Não será necessário utilizar esses 60 dias, nós vamos resolver muito mais rápido do que isso”.