Inaugurado no ano passado, Plenário da Câmara passa por obras para instalação de cabeamento estruturado

O plenário da Câmara Municipal está passando por obras para instalação de cabeamento estruturado. De acordo com o gestor de planejamento estratégico de Assuntos Administrativos, Verci Ferreira, a reforma fará a passagem dos conduítes para interligação do painel do plenário com as bancadas dos vereadores e os sistemas de áudio e vídeo. “Ou seja, essa interligação não existia, não houve previsão. Hoje, tivemos essa necessidade. Para ter o pleno funcionamento, foi preciso fazer essa obra de incisão de todos esses conduítes para poder interligar a Câmara com os nossos departamentos, audiovisual e painel de votação”, completou.

O gestor explicou que a obra tem previsão de 60 dias, mas foi feito um cronograma para acelerar e dar prioridade para o plenário. “Essa obra não prevê só o plenário. Ela é extensiva e faz o cabeamento para as salas de reuniões, por exemplo. Decidimos começar pelo plenário para que possamos liberar o mais rápido possível em função do retorno das Sessões presenciais. Temos uma previsão de concluir o plenário até o início de novembro e depois mais uns 30 dias para concluir na Câmara toda, nas outras salas que serão contempladas com esse cabeamento”, disse.

Ferreira destacou ainda que a obra está sendo realizada por uma empresa especializada. “O conduíte já vem com o cabeamento. Depois, o equipamento é um outro processo, mas o cabeamento já vai ficar pronto e é da Câmara. O cabeamento, que é parte mais sensível, é a última obra a ser executada no plenário”, finalizou o gestor.

Durante a sessão extraordinária desta quarta-feira (20), a liberação do plenário para volta de sessões presenciais foi tema levantado pelo vereador Rafael Acosta (DC). O presidente da Câmara, Martello (PDT) lembrou que, desde que assumiu a presidência, está adaptando o prédio da sede própria e que a mudança já economiza muito em aluguéis. “Não é porque eu queira que estamos fazendo sessões remotas e o plenário não está pronto. Não dá para apressar. Há burocracias, diferentemente da iniciativa privada. Inclusive, quem está fazendo já recebeu uma parte do serviço e foi contratado pela gestão passada. O problema é que o prédio não estava adaptado para ser a Câmara Municipal e estamos fazendo de tudo para que isso se viabilize, para que seja uma Câmara Municipal como Guarulhos merece”, disse Martello.

Na ocasião, Dr. Laércio Sandes (DEM) falou que o presidente tem procurado fazer o melhor nessa questão de adaptação da sede própria e que é preciso apurar a responsabilidade dos erros cometidos. “É preciso mostrar para a população em que estado a Câmara foi pega e o porquê ainda estamos com Sessões online. Quem fez o projeto pré-executivo, e depois o executivo, não acompanhou e fiscalizou o que deveria ser fiscalizado. Isso precisa ter a responsabilidade apurada e é necessário punir a quem de direito porque estamos falando de dinheiro público”, disse o parlamentar.

Imagem: Divulgação/Câmara