Guarulhos recebe o Teatro Portátil, da Pia Fraus

A companhia teatral Pia Fraus apresenta o espetáculo “A Última Árvore”, no Teatro Portátil, no dia 27 de outubro (quinta-feira), com sessões às 10h, 11h, 14h e às 15h, no Bosque Maia, em Guarulhos.
A estrutura é inflável, nas cores vermelha e amarela, impacta a cidade, despertando a imaginação, especialmente das crianças. Logo ao entrar, o púbico embarca numa viagem para outro universo, provocando um mergulho profundo na história de uma árvore na floresta. A sala de teatro itinerante é montada rapidamente, em locais inusitados. “A própria estrutura já é uma situação cênica em si, em que cada dia está em um local diferente”, afirma Beto Andreetta, criador do projeto e diretor da peça e da Pia Fraus.

A peça “A última árvore” gira em torno de uma selva. “A história penetra um olhar reflexivo sobre um assunto muito pertinente: o meio ambiente e a preocupação com a sustentabilidade, além disso, propõe ideias de integração entre o verde e o urbano”, explica Beto Andreetta. O público conhecerá um conto envolvente sobre a natureza, animais, índios, camponeses, chegando até a sociedade moderna, sobretudo o crescimento da cidade, em que “A Última Árvore” assiste a floresta sendo engolida pela cidade. Cena muito conhecida e vivenciada em cidades do interior, onde é mais fácil encontrar, visualmente, a interferência da cidade sobre a natureza.
O Teatro Portátil apresenta de forma lúdica um mundo paralelo e mágico em quatro sessões diárias gratuitamente, num clima intimista entre o público e o espetáculo, trazendo uma relação próxima com as pessoas presentes, onde os bonecos e materiais de pequenas proporções são manipulados por dois atores, que despertam a imaginação das crianças.

O Teatro Portátil segue para as próximas cidades: Araçatuba, Marília, Bauru, entre outras, e movimentará todo o estado de São Paulo, passando no total de 20 cidades, nos principais pontos, entre parques, praças, feiras e escolas, com apresentações até o final do mês de novembro de 2016. O projeto é financiado pelo ProAC – ICMS (Programa de Ação Cultural), lei de incentivo à cultura do Governo do Estado de São Paulo e tem o apoio da Gerdau.