Polícia vai dar recompensa de R$ 50 mil no caso Arthur

A Secretaria da Segurança Pública do governo Geraldo Alckmin (PSDB) está oferecendo R$ 50 mil, valor máximo permitido para recompensas no Estado, para quem fornecer informações que levem à identificação do autor do disparo que matou Arthur Aparecido Bencid Silva, 5 anos, na virada do ano, na Vila Sônia (zona oeste).
Para fazer uma denúncia, o interessado deve acessar o site www.webdenuncia.org.br, clicar no quadro “Denuncie Agora” e seguir as orientações. A denúncia é feita de forma anônima, por meio de senha e protocolo para acompanhamento.
A recompensa foi divulgada um dia após o IC (Instituto de Criminalística) ter confirmado que a bala que matou a criança não saiu do revólver com o qual um suspeito deu tiros para cima em um horário semelhante.
O homem tinha sido preso duas horas depois do crime por porte ilegal de arma após ser flagrado com um revólver calibre 38 na sua casa, em Parelheiros (zona sul), a cerca de 20 km de distância da casa onde o garoto foi baleado.
Segundo o delegado do 89º DP, Antônio Sucupira Neto, uma filmagem entregue por um vizinho da casa de onde Arthur estava mostra que o tiro não foi disparado da frente da residência.
A polícia afirma que a gravação mostra apenas um pedaço da rua e, naquele local, não foi possível ver nenhum clarão típico de disparo de uma arma de fogo.
Na filmagem também é possível ver, segundo a polícia, um carro passando.
O delegado diz que quer ouvir todas as pessoas que estavam na casa. Ontem, uma enfermeira, parente do menino, que ajudou no socorro, prestou depoimento.
A polícia também pretende fazer, nas próximas semanas, uma reconstituição do crime para a perícia tentar entender a trajetória da bala, que atingiu o menino na cabeça, de cima para baixo.

(Folhapress)
Foto: Marcelo Gonçalves/Sigmapress/Folhapress

- PUBLICIDADE -