Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

A Catedral Nossa Senhora da Conceição (Igreja Matriz), localizada na Praça Tereza Cristina, na região central, tem sofrido com atos de vandalismo. Além de ser alvo de pichações na parte externa há muitos anos, agora vândalos quebraram duas imagens, uma de São Benedito e outra de Nossa Senhora Aparecida.

No último final de semana, o pároco, padre Antonio Bosco da Silva, de 52 anos, informou a destruição das imagens nas redes sociais, o que causou indignação nos fiéis. “Devido a dois atos de depredação que danificaram a imagem de Nossa Senhora Aparecida e destruíram a imagem de São Benedito… fizemos (sic) retirar todas essas imagens, até que possamos encontrar um meio para evitar tais crimes. Rezemos pela conversão dos agressores”, postou.

A primeira imagem, a de São Benedito, foi quebrada há 20 dias, de acordo com padre Bosco, e a de Nossa Senhora Aparecida, foi na quarta-feira (15), durante a missa das 19h. “Durante a missa, alguém invadiu e destruiu a imagem que é de madeira, quebrando a capelinha, porém, conseguimos recuperar”, informou o religioso.

Ele lamentou não ter conseguido recuperar a de São Benedito. Com isso, a igreja teve que encomendar outra imagem do santo em Pernambuco, no valor de R$ 400, que chegou nesta semana à catedral.

As imagens atacadas ficavam nas colunas dos corredores laterais. Agora, para evitar novo ato de vandalismo ou mesmo furto, elas devem receber uma proteção de acrílico, que já está sendo orçada pela igreja.

“Não posso dizer que foi um ato de racismo ou intolerância religiosa, porém, coincidentemente foi destruído São Benedito, que é negro e a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que também é negra”, revelou.

O total de imagens entre altar, entrada e colunas são 20 na catedral, entre Nossa Senhora da Conceição, menino Jesus, São José de Botas, Santa Rita de Cássia, São Benedito, Nossa Senhora de Aparecida, cristo crucificado, São José, imaculado coração de Maria e Santa Edwirges.

O pároco informou que não foi realizado boletim de ocorrência e que nenhuma testemunha presenciou o ato. Além disso, próximo da igreja, durante o período noturno, também existe um consumo excessivo de drogas, segundo padre Bosco, atrapalhando principalmente os fiéis, já que muitos deixaram de frequentar a missa devido à falta de segurança.

Prefeitura diz que não existe projeto para instalação de base da GCM próximo à igreja

O pároco da Igreja Matriz, padre Antonio Bosco da Silva, informou ao HOJE que, há alguns anos, a prefeitura chegou a apresentar um projeto com a possibilidade de instalar uma base da Guarda Civil Municipal (GCM) próximo à igreja, porém, o projeto não vingou. “Por falta de recursos isso não foi feito, mas não impede de que uma viatura fique aqui à noite. Existe a presença da guarda, mas eu não acho suficiente”, afirmou.

Questionada, a Secretaria de Assuntos para Segurança Pública (SASP) esclareceu que no momento não há projetos para instalação de base da GCM próxima à igreja. 

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP), informou que o policiamento na área é realizado pela 1ª Cia do 15° Batalhão e que as ações conjuntas entre Polícia Militar e Civil resultaram na queda de 11,43% dos roubos e 38,06% do furto de veículos. “Os roubos de automóveis também apresentaram queda de 15,38% na área do 1º Distrito Policial de Guarulhos. Na região, 102 pessoas foram presas no primeiro trimestre deste ano e três armas de fogo apreendidas”.

Imagem de Aparecida sofre com vandalismo pela 2ª vez

De acordo com pároco, esta é a segunda vez que a imagem de Nossa Senhora aparecida sofre com o vandalismo, já que no ano passado outra imagem, desta vez de gesso, foi destruída. “Disse para as pessoas que nós não podemos reagir a nenhum tipo de violência, é aquilo que Jesus nos ensinou, abençoai os que vos amaldiçoam, bem dizeis os que vos perseguem, e reze pelos nossos inimigos. É assim que vamos superando os episódios de violência”, destacou.

“Você não pode agredir o que é dos outros, isso apresenta uma agressão ao ser humano, a fé das pessoas”.

As missas na Igreja Matriz ocorrem de segunda à sexta-feira, às 8h, 12h e 19h30, além de sábados, às 8h, 12h e 15h, e domingos, no horário das 7h30, 9h, 11h e 19h. Segundo Silva, as missas das 12h, são as que os fiéis mais comparecerem, chegando a comportar quase 300 pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here