Prefeitura recebe mais de 3 mil doses da vacina pentavalente para as UBSs da cidade

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]

A cidade de Guarulhos recebeu mais 3.350 doses da vacina pentavalente, que estão sendo distribuídas gradativamente para as Unidades Básicas de Saúde (UBS), segundo informação da Secretaria Municipal de Saúde. O HOJE ligou na tarde desta quarta-feira (16), para UBS do Jardim Flor da Montanha e a UBS Paraventi, porém, a primeira ainda estava sem, enquanto na segunda, a vacina já havia chegado.

“Até a presente data, o município não foi comunicado sobre previsão de normalização da distribuição”, destacou a secretaria, alegando também que até o momento, ainda não há previsão de quantas doses que o município deverá receber, e que todas as UBS da cidade têm anotados os nomes das crianças que compareceram no serviço no período do desabastecimento, as quais serão convocadas para receber a vacina.

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que o inicio da regularização da distribuição da vacina estava previsto para o fim de novembro após a pasta reprovar, em julho deste ano, lotes da vacina pentavalente por problemas na qualidade. “Neste ano, o Ministério da Saúde encaminhou mais de 3,8 milhões de doses da vacina pentavalente aos estados, sendo 753 mil para o estado de São Paulo. Em setembro, foram enviadas 440 mil doses aos estados, sendo 120 mil para São Paulo”.

A vacina previne contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B. “A remessa de vacina pentavalente, adquirida por intermédio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), foi reprovada em teste de qualidade feitos pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A pasta solicitou a reposição do fornecimento à OPAS. No entanto, não há disponibilidade imediata da vacina pentavalente no mundo e ela não é fabricada no Brasil. Foi feita nova aquisição de 6,6 milhões de doses e essas vacinas começaram a chegar de forma escalonada em agosto no Brasil”. 

A técnica em nutrição Flávia Laurinda de Almeida, 39, informou que está preocupada porque a filha acabou de completar seis meses e a vacina segue em falta nas UBSs. “A gente vai ao posto e as atendentes não tem informação de quando vai chegar à vacina. Eles pegam o número de telefone da mãe e prometem que vão retornar quando chegarem as doses”, afirmou a moradora do Jardim São João.

Foto: Divulgação