HOJE inicia ‘Guarulhos em 10 Linhas’ com candidatos a prefeito; PT rejeita participar

O HOJE inicia o GUARULHOS EM 10 LINHAS, projeto que vem sendo realizado nas últimas eleições com os prefeituráveis da cidade. Nesta edição, os candidatos a prefeito de Guarulhos responderão a cinco perguntas, onde a resposta a cada uma delas será publicada a cada dia.

As perguntas enviadas às assessorias de campanha de cada um dos candidatos foram as seguintes:

1 – Qual será o maior desafio da administração municipal no primeiro ano de mandato?

2 – O que fazer para superar os graves problemas da desigualdade social em Guarulhos?

3 – Qual a relação que o (a) senhor (a) terá com os servidores públicos?

4 – O que fazer para atrair mais empresas para a cidade e gerar mais empregos?

5 – Caso eleito (a), qual legado imagina que seu governo deixará para a população de Guarulhos?

A cada candidato foi determinado o espaço de, em média, 360 caracteres.

Com exceção de Néfi Tales, que na terça-feira (20) anunciou a desistência de sua candidatura e, também a presidência do PSL, alegando problemas de saúde, o único prefeiturável que se negou a participar do GUARULHOS EM 10 LINHAS, foi o candidato do PT e ex-prefeito, Elói Pietá, conforme informou sua assessoria.

Qual será o maior desafio da administração municipal no primeiro ano de mandato?

ADRIANA AFONSO (PL)

Sem dúvidas o maior desafio será a recuperação econômica da cidade no pós-pandemia. Trabalharei incessantemente para reduzir burocracias e conceder isenções para os comerciantes, para tornar mais acessível a economia municipal, alavancando a geração de empregos através da recuperação das micro e pequenas empresas que tiveram grandes prejuízos na pandemia.

AURIEL BRITO (PCdoB)

Através do diálogo com funcionários públicos pretendemos estabelecer normas e metas para que nossa gestão tenha excelência no atendimento aos cidadãos. Promover auditoria e revisão de todos os contratos vigentes para garantir o melhor preço. É necessária também uma redução e reorganização nos quadros de funcionários comissionados, o que ajudaria, inclusive, a colocar as contas da cidade em dia.

EDUARDO BARRETO (PROS)

Certamente será o plano para a recuperação econômica, social e sanitária pós-pandemia. Guarulhos possui muitos problemas a serem resolvidos, e serão, mas a prioridade será a retomada do crescimento, geração de empregos, enxugamento da máquina pública e os cuidados com as pessoas de nossa cidade.

ELÓI PIETÁ (PT)

O candidato petista se negou a participar do GUARULHOS EM 10 LINHAS. A coordenação de campanha agradeceu o contato feito, mas informou que, “por ora as informações de campanha estão disponíveis no link https://www.facebook.com/eloipietaoficial”.

FRAN CORRÊA (PSDB)

Minha prioridade é a Saúde. Então, nos 100 primeiros dias, vamos colocar 100 novos médicos para trabalhar e atender as pessoas. Hoje temos a menor quantidade de médicos por habitante na Grande S. Paulo. Não é possível continuarmos assim. A cidade tem quase 100 médicos a menos trabalhando nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do que tinha em 2014.

JOVINO CÂNDIDO (PV)

No primeiro ano pós-pandemia, o prefeito de Guarulhos terá um grande desafio: governar nossa cidade em um período de significativas mudanças, com desigualdades ainda mais evidentes, uma maior busca dos serviços públicos por parte da população que antes contratavam serviços particulares, em um cenário de queda de arrecadação.

GUSTAVO HENRIC COSTA – GUTI (PSD)

No 1º mandato foi possível entregar obras que estavam paradas há anos, como as UPAs e os CEUs, e a partir dos próximos quatro anos daremos início a um novo ciclo, continuando os trabalhos que estão em andamento, mas também focando na validação de novas ideias e planejamentos. Guarulhos terá condições de progredir muito mais no que tange à saúde pública e mobilidade urbana.

RODRIGO TAVARES (PRTB)

Guarulhos precisa de um orçamento transparente. A atual administração congelou o IPTU, mas aumentou absurdamente o ISSQN. Administrou pessimamente nossos recursos, como os R$ 37 milhões gastos em uma tenda na pandemia, apesar da infraestrutura do hospital do Cecap. Vamos recuperar o capital intelectual e operacional da prefeitura para desenvolver a cidade.

SANDRA SANTOS (PDT)

Acredito que o nosso maior desafio será atingir o equilíbrio financeiro do município, o que possibilitará novos investimentos. Sabemos que Guarulhos tem hoje uma dívida na casa dos bilhões e isso, caso não seja controlado o quanto antes, pode acarretar vários problemas futuros como, por exemplo, a falta de investimentos na saúde, educação, entre outros.

SIMONE CARLETO (PSOL)

O maior desafio de nosso governo no primeiro ano será inverter prioridades diante do abandono que a cidade se encontra e de problemas antigos. No primeiro ano governaremos sob o orçamento aprovado pelo atual prefeito, que não governa para os mais pobres, porém concentraremos nossas ações para garantir inclusão de todas as crianças na escola.

WAGNER FREITAS (PTB)

O maior desafio que eu imagino enfrentar é o rompimento com a corrupção. Irei rasgar esse contrato que foi concedido o adiamento por mais 10 anos do uso do transporte coletivo na cidade sem licitação. A passagem de ônibus em Guarulhos é a mais cara do Brasil, não temos nenhum ônibus que tenha ar condicionado, sinal de Wi-Fi e internet.