Programa de Demissão Voluntária nos moldes do Saae beneficiará funcionários da Proguaru

Com a proposta de extinção apresentada pela Secretaria da Fazenda de Guarulhos, a Proguaru irá oferecer um amplo Programa de Demissão Voluntária (PDV) para os funcionários da empresa. O objetivo é seguir a linha adotada em 2018 pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae), quando foi assumido pela Sabesp, cujo programa de desligamento atraiu mais de 50% dos funcionários.

Conforme o estudo apresentado pela Secretaria da Fazenda, 70% dos servidores da Proguaru têm mais de 55 anos e atuam, principalmente, em serviços na área operacional. A expectativa é que o PDV atenda principalmente esse público em função do grande esforço físico exigido nas atividades de campo.

Funcionários do Saae que aceitaram o PDV seguiram os mais diversos caminhos. Alguns decidiram parar de trabalhar e investiram em imóveis fora de Guarulhos, como a ex-funcionária do teleatendimento Leonirdes Gonçalves Alves, de 62 anos, que usou parte do dinheiro da rescisão para comprar um sítio em Mairiporã. “É lá que irei descansar e aproveitar minha aposentadoria em paz. O PDV veio na hora certa”, conta.

Por sua vez, a arquiteta Priscila de Moura Antunes Fuso, após deixar o Saae, decidiu prosseguir com sua trajetória profissional como autônoma, já que ainda faltam alguns anos para a aposentadoria. “Trata-se de uma decisão muito particular, mas passado mais de um ano (do processo do PDV) percebo que foi a mais acertada, já que foi possível garantir minha segurança financeira por um período”, afirma Priscila, que acompanhou de perto a transição Saae-Sabesp e auxiliou no processo até seu último dia de trabalho após 33 anos na empresa.

Da mesma forma, Cristina Silva e o namorado Alexandre, também ex-funcionário do Saae, aceitaram o PDV e abriram um pequeno negócio na área de alimentação. “Foi a melhor decisão que eu poderia ter tomado. Vi que existe vida além do funcionalismo e que ela é possível. Não é fácil, precisamos nos reinventar sempre, ser criativos e pacientes. Todo dia é uma batalha diferente. Cuidar da mente é muito importante também porque a mudança na rotina e no estilo de vida é drástica. Porém, como é recompensador! Cada vitória é comemorada, cada retorno positivo de cliente nos faz ter a certeza que estamos no caminho certo”, revela.

Há ainda aqueles que, após aceitarem o PDV, continuaram trabalhando na distribuição de água e esgotamento sanitário em Guarulhos, desta vez na própria Sabesp como terceirizados. É o caso de Claudomiro Ferreira de Araujo, que passou mais de duas décadas no Saae. “Foi uma empresa que me proporcionou ótimas experiências, mas a vida nos prepara para outras oportunidades e uma delas foi o PDV, que me ajudou muito a acertar algumas pendências. Hoje trabalho para a Sabesp e está indo tudo muito bem”, revela.

Como se vê, há diversos exemplos a demonstrar que o programa de demissão voluntária, mais do que meramente deixar um emprego, significa oportunidades de tocar novos empreendimentos, resolver pendências, adquirir bens ou até mesmo garantir uma aposentadoria financeiramente mais estável e um merecido descanso após décadas de serviço público.