SP realiza ação de combate ao Aedes aegypti e escorpiões nesta semana

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Governo do Estado de São Paulo realiza, até a próxima sexta-feira (12), a Semana de Mobilização contra o Aedes aegypti e escorpiões. O objetivo da campanha é eliminar os focos do mosquito transmissor de doenças como dengue, chikungunya e zika vírus e também a proliferação de escorpiões em todo o estado.

Segundo dados informados pela Secretaria da Saúde, de 1º de janeiro até 4 de novembro de 2021, a cidade de Guarulhos registrou 968 casos confirmados de dengue; 15 de chikungunya e nenhum de zika vírus e/ou febre amarela. Quanto aos casos de escorpiões, que se reproduzem ainda mais nos períodos de chuva, durante o mesmo período deste ano foram registrados 71 casos de pessoas feridas na cidade.

No estado, até outubro deste ano foram contabilizados 137,7 mil casos de dengue e 54 óbitos. No mesmo período de 2020, foram 192,7 mil casos de dengue e 140 pessoas que faleceram pela doença. Já o número de registros de zika chegou a 11 casos neste ano e 12 no anterior, sem registro de mortes no período. Quanto a chikungunya foram 14,1 mil casos e quatro óbitos neste ano. Já em 2020, foram 162 casos, sem mortes. Já os acidentes com escorpiões, até setembro, foram registrados 34.224 casos e nove óbitos. No ano passado, foram 36.109 casos e sete óbitos.

O município é responsável por desenvolver as estratégias apropriadas para a sua região, como visitas de agentes às residências e medidas de conscientização da população, adotando cuidados simples, mas que podem ser feitos todos os dias.

As três arboviroses em questão (dengue, chikungunya e zika vírus) podem ser prevenidas com a eliminação de criadouros do Aedes. Vasos, pratos de plantas, ralos, lajes, calhas e piscinas são recipientes que registraram aumento nos índices de incidência de larvas. Além deles, caixas d’água, embalagens vazias, entulhos de construção, sucatas, pneus e plantas, ocos de árvore, bambu, por exemplo também são locais possíveis para proliferação. A limpeza adequada e regular, assim como a eliminação destes recipientes em quintais e espaços abertos, são fundamentais para evitar que o mosquito deposite seus ovos.

As melhores maneiras para evitar ataques de escorpiões são manter jardins e quintais limpos; evitar o acúmulo de entulho, folhas secas e lixo doméstico; manter a grama aparada; sacudir roupas e sapatos antes de usá-los; e usar telas em ralos do chão, pias ou tanques.

Em casos de acidentes por qualquer animal peçonhento, como é o caso do escorpião, é preciso procurar o serviço de saúde mais próximo para receber o tratamento o mais rápido possível. Higienizar o local da picada com água e sabão e aplicar compressa morna auxiliam a reduzir a dor. Se possível, é recomendável capturar o animal e levar ao serviço de saúde, desde que isso feito com segurança e não demore, pois a prioridade é o atendimento médico urgente.

Não deve ser feito torniquete, garrote ou curativo que feche a ferida para evitar infecções; também não espremer ou sugar o local da picada; não aplicar qualquer tipo de substância (álcool, querosene, fumo, ervas, pó de café, terra). Gelo ou água fria acentuam a dor e, por isso, não é recomendado o uso.