Casas André Luiz reforça medidas de segurança para impedir a circulação do vírus H3N2 e do novo coronavírus em suas dependências

Foto: Divulgação

A área Médica e de Enfermagem da Unidade de Longa Permanência da Casas André Luiz publicou parecer sobre a inexistência de novos casos de infecção por covid-19 entre os pacientes em dezembro de 2021. Porém, o aumento da média móvel do número de infectados por covid-19 em todo o estado de São Paulo fez com que a Instituição adotasse uma série de restrições sanitárias para proteger a saúde dos assistidos com deficiência intelectual e física.

“Nós atingimos um importante marco na guerra contra a pandemia em dezembro do ano passado, e a conquista é reflexo de programa rígido de protocolos de segurança em conformidade com as orientações sanitárias difundidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS)”, comenta Margareth Pummer, presidente do Conselho Diretor. “Mas nós não podemos baixar a guarda, não agora”.

Margareth explica que o cenário é ainda mais delicado para quem atua diretamente na causa da pessoa com deficiência, uma vez que as comorbidades debilitam o sistema imunológico dos atendidos a ponto de fazê-los mais suscetíveis e vulneráveis aos efeitos de doenças respiratórias.

“Nós suspendemos as visitas e as atividades dentro da Unidade de Longa Permanência no início deste ano, e reforçamos junto aos funcionários a prática do distanciamento social nas situações cabíveis, além do uso constante de máscara nas dependências e da higienização das mãos com álcool em gel”.

As medidas restritivas permanecerão em vigor até 31 de janeiro com o intuito de impedir a circulação do vírus Influenza A – H3N2 e da variante Ômicron do novo coronavírus nas dependências tanto da Unidade de Longa Permanência quanto no Ambulatório de Deficiências. Após a data será feita reavaliação para possíveis flexibilizações das recomendações. Todos os 537 pacientes e os 1.660 colaboradores foram devidamente vacinados com as três doses do imunizante contra a covid-19.

Pandemia afeta número de doações

Além de mobilizar os profissionais das áreas Médicas e de Enfermagem para impedir a livre circulação dos vírus e de suas variantes em ambas as unidades de atendimento, a Casas André Luiz ainda enfrenta outro agravante ocasionado graças ao avanço da pandemia no Brasil: a diminuição gradual no volume de doações, tanto de pessoas físicas quanto de empresas e parceiros.

Segundo levantamento organizado pela Instituição no início deste ano, houve queda de 7% na captação de alimentos (como leite, arroz e feijão), e no número de doações de móveis, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, roupas e demais itens comercializados nos bazares Mercatudo.

“Não é nada fácil”, comenta Rubens Oliveira, gerente administrativo de doações e logística do Mercatudo Casas André Luiz. “Buscamos parcerias com supermercados e produtores regionais para adquirir tanto os consumíveis perecíveis quanto os não-perecíveis a preço de custo. Porém, a necessidade de abastecer os nossos estoques implica em custos adicionais em um momento em que nosso maior objetivo é preservar a saúde e o bem-estar das pessoas com deficiências”.

Por mês, os atendidos consomem 1.665 litros de leite integral e desnatado, 2.758 quilos de arroz e feijão, 183 quilos de bolachas salgada e de maisena, 363 quilos de café e achocolatado, 168 pacotes de farinha láctea.

Somente na Unidade de Longa Permanência, por exemplo, também são necessárias 53.600 fraldas, 385 litros de sabonete líquido, 500 unidades de creme dental, 1.700 unidades de desodorante e 1.800 aparelhos de barbear.

“Toda a contribuição é bem-vinda. Às vezes, a pessoa não sabe o que fazer com um móvel antigo, em bom estado. Nós, do Mercatudo Casas André Luiz, retiramos o produto na casa do doador que estiver na Capital ou na grande São Paulo, incluindo Campinas, Sorocaba e região. Todo valor arrecadado com a venda dos objetos é revertido a causa da pessoa com deficiência”, conclui.

Saiba como doar

O interessado pode entregar sua doação nas unidades da Casas André Luiz das cidades de Guarulhos ou São Paulo. Existe também a possibilidade de contribuir on-line. Basta acessar o site www.casasandreluiz.org.br para conhecer as opções disponíveis.

Endereços

Casa André Luiz (Unidade de Longa Permanência)

Avenida André Luiz, nº 723, Picanço

Guarulhos / SP

Telefone: (11) 2457-7733

Casa André Luiz (Ambulatório de Deficiências)

Rua Vicente Melro, nº 878, Vila Galvão

Guarulhos / SP

Telefone: (11) 2452-4033

Telefones

Grande São Paulo: (11) 95427-3700 

PIX (CNPJ): 62.220.637/0001-40

- PUBLICIDADE -