Shoppings da cidade abrem as portas para animais domésticos

Nos shoppings centers de Guarulhos é cada vez mais comum ver famílias que levam seus cães para passear e fazer compras. É o caso de Billy e Lady, um casal de chow chow da administradora de empresas, Thereza Santana, que sempre leva os bichinhos para passear no Internacional Shopping Guarulhos.

“Eles adoram e eu também. Tenho o hábito de sempre levá-los comigo em todos os lugares que vou e não é diferente na hora das compras. Acho importante essa abertura de espaço do shopping”, afirmou.

Na cidade os empreendimentos permitem a entrada dos pets, mas é necessário obedecer algumas regras, como limite de tamanho e uso de focinheira. Nos dois principais centros de compras do município, Internacional Shopping Guarulhos e Parque Shopping Maia, somente é permitida a entrada de cães e gatos no colo do dono do animal e/ou no chão, desde que obedecida a exigência do uso de coleira com guia curta. Os animais podem circular livremente em todas as dependências, exceto nos parques de diversão. Os cachorros podem ter qualquer porte, mas se forem de raça considerada agressiva, devem estar de focinheira.

No Shopping Bonsucesso são aceitos cães de pequeno porte, desde que carregados no colo ou transportados em carrinhos. Já no Shopping Pátio Guarulhos a circulação com bichos de estimação é livre pelos corredores, exceto no supermercado Sonda. O local é o único dos quatro empreendimentos que possui pet shop.

No entanto, uma regra é comum para os quatro shoppings de Guarulhos: os animais não podem acessar a praça de alimentação. “Não tenho nada contra os animais no shopping, mas pra mim não dá pra ter pet no mesmo local onde nos alimentamos. Por mais limpo que o animal seja e bem cuidado, acredito que o bom senso cabe nesse caso”, afirmou o gestor logístico, Luis Bittencourt.

Mercado pet deve faturar R$ 19,2 bilhões até o final do ano

A permissão da entrada e circulação de animais em shoppings de todo o país vem sendo crescente. Isso devido ao aumento do mercado pet observado nos últimos anos. De acordo com previsões da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o setor pet no Brasil deverá atingir um faturamento de R$ 19,2 bilhões até o final deste ano. Trata-se de um crescimento de 6,7% em comparação a 2015.

A entidade projeta, ainda, um aumento em 2016 de 2,5% no volume de pet food produzido em relação ao ano passado, ou seja, um montante de 2,6 milhões de toneladas, considerando a fabricação de 600 mil toneladas no primeiro trimestre deste ano. Em 2015, foram produzidas 2,53 milhões de toneladas de pet food no país.

“É preciso que o governo brasileiro entenda a importância do setor pet para a economia e diminua os tributos, para incentivar o consumo e, por consequência, os investimentos da indústria. Em paralelo, a Abinpet trabalha para divulgar os benefícios do alimento processado, o único que garante com segurança todos os nutrientes e minerais diários necessários para o animal”, afirma o presidente executivo da Abinpet, José Edson Galvão de França.

Reportagem: Rosana Ibanez
Foto: Ivanildo Porto