Professores das creches do município protestam no Paço por falta de salário

Professores de creches municipais protestaram por falta de salários em frente ao Paço Municipal. O ato aconteceu às 9h desta quarta-feira (23). Os educadores não recebem desde outubro, já que as verbas não foram repassadas para as creches conveniadas. Em nota a Prefeitura diz que reconhece o problema e que a expectativa é que tudo solucionado ainda entre os meses de novembro e dezembro.

Cerca de 150 educadoras fecharam a avenida Bom Clima e pediram para que o prefeito Sebastião Almeida desse um parecer sobre a situação. Entretanto, o pedido não foi atendido.
O problema não se limita ao salário. “Eles não pagaram o nosso vale-transporte e nem a primeira parcela do 13º, um absurdo total”, comentou Ivone Ribeiro, professora do Núcleo Cultural do Parque Mikail. Segundo ela, sua creche ainda sofre com vários problemas. “É falta de merenda e má estrutura, está tudo errado, só queremos nossos direitos”, comentou. A administração diz que o problema foi influenciado por vários problemas, como a crise econômica.

Este foi o segundo protesto contra a Secretaria de Educação em dois dias na cidade. Nesta terça-feira (22), também por falta de salários, professores do Movimento de Alfabetização de Jovens e Adultos (Mova), de Guarulhos, fecharam a rua Capitão Gabriel, no Centro. O ato, que durou 20 minutos, causou forte trânsito na região e os servidores só deixaram a via depois de pedidos da PM.

MTST – Durante a ação dos professores, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) chegaram ao local para protestar sobre a ocupação no terreno que chama de Hugo Chaves, na Ponte Alta. Os manifestantes também queriam diálogo com a prefeitura.

Reportagem: Gustavo Druzian
Foto: Ivanildo Porto