Banda da GCM abre o 1º Fórum de Saúde do Trabalhador (a) da Saúde

Assunto:Fachada Adamastor Local:Adamastor Centro Data:14/04/2009/ Fotos:José Luiz/PMG

Uma apresentação da Banda da Guarda Civil Municipal deu um toque especial à solenidade de abertura, que também contou com a presença do secretário de Saúde, Carlos Derman.

“Evolução e Perspectivas: cuidando do trabalhador e trabalhadora da Saúde” foi o tema do Fórum, que reuniu três ilustres palestrantes: Francisco Antonio de Castro Lacaz, médico e professor da Unifesp; Carolina de Moura Grando, psicóloga da Associação dos Servidores do Município de São Paulo; e Virgínia Junqueira, médica e também docente da Unifesp.

Na primeira palestra do dia, o médico Lacaz fez uma contextualização sobre a linha do tempo da saúde do trabalhador. Na sequência, Carolina de Moura Grando também discorreu sobre a saúde da classe. Por fim, a médica Virgínia Junqueira fez um alinhamento dos assuntos discutidos anteriormente, encerrando os trabalhos da parte da manhã.

As atividades foram retomadas após o almoço, com a realização de cinco oficinas temáticas nos seguintes eixos: Administração, Atenção e Assistência, Educação Permanente, Gestão Político Institucional e Promoção e Prevenção à Saúde. Cada tema foi discutido em uma sala diferente por cerca de 50 pessoas divididas em grupos.

Ao final, foi apresentado o Plano de Ação para 2017 da Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora da Saúde, com a indicação de cerca de 30 propostas para a implantação ao longo do próximo ano. Dentre as ações elencadas, destacam-se a garantia, a institucionalização e a qualificação dos espaços de discussão para a saúde do trabalhador e da trabalhadora da saúde. Com isso, se pretende promover meios para assegurar as rodas de conversas nas unidades de saúde sobre questões relacionadas à saúde de seus profissionais.

Também serão ampliadas as capacitações e formações, a fim de alinhar as informações e a comunicação acerca dos direitos e deveres relacionados à saúde no trabalho. Dentro dessa proposta, a meta é capacitar de forma sistemática os profissionais em biossegurança, bem como em outros temas relacionados à saúde do trabalhador, preferencialmente em seus locais de atuação.

Outra proposta aprovada para 2017 é a realização de diagnóstico situacional pelo perfil epidemiológico dos trabalhadores em cada unidade de saúde. A partir desse estudo, serão desencadeados projetos singulares com ações prioritárias de atenção, promoção da saúde e prevenção de doenças, com revisão de processos de trabalho e educação em saúde.