Imagina você precisar tomar uma Dipirona para dores de cabeça. Pode parecer simples, mas no Hospital Municipal Pimentas-Bonsucesso não é, e muitas vezes o remédio está em falta, assim como materiais para a própria manutenção do local, com a falta até de lâmpadas para ser realizada a troca.

A calamidade da situação vem se agravando, principalmente com a falta de pagamento dos funcionários. A Prefeitura repassou um cheque de 2,9 milhões para acabar com o problema, mas a administração do hospital, a SPDM( Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina), destinou o dinheiro para o pagamento de metade do salário, além da quitação das dívidas relacionadas ao vale transporte e cesta básica.

Caso a outra metade não seja paga, os funcionários devem entrar em greve. Nesta quarta-feira (18), uma paralisação foi realizada às 8h, e durou cerca de meia hora. O ato foi para demonstrar que todos os funcionários estavam unidos.

Segundo a presidente do Sindicato da Saúde de Guarulhos, Eliane de Castro, os funcionários passaram para ela uma situação de descaso. “Falta muita coisa, desde luvas descartáveis, copos e seringas”, disse Eliane. O HOJE apurou com funcionários do hospital, que há pacientes que esperam há 30 dias por uma cirurgia, devido a falta de materiais no hospital.

Reportagem: Ulisses Carvalho
Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here