Desempregada é acusada de matar a própria filha de dois anos asfixiada

A desempregada Telma Moreira Araújo, de 35 anos, moradora do Gopoúva, foi autuada em flagrante nesta quarta-feira (18), sob acusação de ter assassinado a própria filha, Letícia, de apenas dois anos. A criança foi encontrada na cama da residência onde morava com a mãe, na rua Antonio Eugênio Martins, asfixiada. A mulher, que confessou o crime, disse ter usado um travesseiro para cometer o crime.

A própria acusada procurou a polícia. Ela saiu de casa pouco depois das 6h e, à pé, dirigiu-se ao 1º Distrito Policial (Centro), onde encontrou o sargento PM Barbosa e o cabo PM Ribeiro, que apoiava uma ocorrência de furto, apresentada naquela delegacia. “Acabei de matar minha filha”, teria dito Telma aos policiais.

Desconfiados da história, os PMs a colocaram na viatura e a levaram para a residência, onde a criança foi encontrada na cama com o travesseiro sobre o rosto. Uma equipe do Samu foi acionada e constatou a morte de Letícia. Naquele exato momento, a desempregada recebeu voz de prisão, tendo sido – posteriormente – levada ao 5º DP (Gopoúva), onde foi autuada em flagrante pelo crime.

Telma teria alegad oque matou a filha por estar passando por um processo de separação do pai dela e que faz uso de uma série de medicamentos. Depois da perícia na residência da desempregada, o corpo da criança será encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML).

O delegado Fernando de Camargo Bittencourt informou que a acusada não tem passagem pela polícia e sofre de transtornos psicológicos. A mulher ainda teria tentado se matar com uma faca após o crime. A polícia ainda apura a data da morte. Nesta quinta-feira (19), a acusada deve seguir para uma audiência de custódia no fórum de Guarulhos.