Entre a última quinta-feira (19) e este domingo (22) choveu 40% do total esperado para o mês de janeiro inteiro na cidade. De acordo com a prefeitura, no período, o índice de chuvas acumulado no município chegou a 85 milímetros. A região que mais choveu foi o Itapegica, com 102,2 milímetros neste período, de acordo com dados do pluviômetro da Defesa Civil Municipal. A média histórica para a cidade é de 225 milímetros ao longo de todo o mês.

Somente neste sábado a Defesa Civil Municipal atendeu 22 ocorrências nos mais diversos pontos da cidade. Os mais graves foram no Jardim Fortaleza (deslizamento de terra, que afetou quatro moradias, na rua Adílson Charles dos Santos Junior), Vila São João (deslizamento de terra com queda de um muro, na rua Vivência, 174) e Jardim Valéria (deslizamento de terra provocando queda de muro na avenida Gaivota, 181).

Enchentes foram registradas ao longo dos córregos do Taboão e Japoneses, afetando bairros da região do Cocaia, como Jardim Rossi, Sítio dos Morros, ocasionado alagamentos de vias importantes como a avenida Brigadeiro Faria Lima, que ficou bloqueada ao trânsito por um breve período. Na estrada do Cabuçu, houve a queda de uma árvore de grande porte na altura do número 4.965. Houve alagamentos também na Vila das Palmeiras, Vila Rio de Janeiro, Jardim Vera, Cidade Satélite, Jardim Hanna.
Guardas Civis Municipais resgataram um casal, no final da tarde deste sábado, de dentro de um automóvel que estava sendo arrastado pelas águas, na avenida Antonio de Souza. Os dois foram retirados com segurança do carro, após os agentes entrarem no meio da enchente.
No domingo a prefeitura realizou uma força-tarefa, liderada pelo prefeito Guti, prestando auxílio às pessoas afetadas, além de promovendo ações de limpeza e dando apoio aos desalojados.

Córrego dos Japoneses passa por limpeza

Funcionários do Departamento de Limpeza Urbana da Secretaria de Serviços Públicos trabalharam ontem na retirada de entulho, lixo e lama das travessias e das margens do córrego dos japoneses, no Cocaia. A ação faz parte de um plano para minimizar os efeitos da chuva em Guarulhos.

O descarte irregular traz transtornos para a comunidade e para a cidade. Entulho, móveis velhos e lixo que são jogados nas ruas, praças, terrenos e rios causam enchentes e colaboram para a proliferação de doenças. Para evitar o problema, é necessária a colaboração da população, não jogando lixo nas vias e respeitando os dias e horários das coletas domiciliares.

A prefeitura orienta o descarte de entulhos nos Pontos de Entrega Voluntária (PEV) da cidade. São 19 PEVs, que são espaços para a destinação adequada de resíduos da construção civil e demolição (ferro, argamassa, solo e outros). Nesses locais, a população pode entregar até 1m³ de material por dia, o que equivalente a 12 carrinhos de mão cheios ou 20 sacos de 50 litros. Os PEVs recebem também materiais como móveis, pneus, poda de árvores e utensílios em geral sem serventia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here