Bloco do Residencial Flamboyant continua apresentando problemas de rachaduras

Os moradores do bloco três do Residencial Flamboyant, localizado na rua Peri, no bairro de Bonsucesso, reclamam novamente das constantes rachaduras dos apartamentos. No inicio, o bloco chegou a ficar interditado após o medo do prédio vim a desabar.

Os moradores continuam desesperados, alguns já tentaram entrar em contato com a Secretaria de Habitação, mas não houve retorno, e outros tentaram contato com a construtora Qualyfast, porém, também não conseguiram resposta.

“Isso é um transtorno todos os dias”, afirma a moradora do bloco interditado Alessandra Alves Martins, que ao retornar para o apartamento, encontrou sua casa cheia de larvas, pois com a saída apressada de casa, deixou muitas coisas, como alimentos e roupas no local.

Mesmo com a saída, a reforma não resolveu os problemas do bloco interditado. “As rachaduras continuam, a gente escuta barulhos durante a noite inteira, e no mês de março, as calhas não absorveram a água da chuva, e com isso a água começou a adentrar nas casas”, revelou agente comunitária Alessandra.

A reportagem do HOJE entrou em contato com a Defesa Civil, que alegou estar a disposição para a realização de vistorias no local. “A Coordenadoria da Defesa Civil informa que a responsabilidade do empreendimento é da Caixa Econômica Federal (CEF) e da Construtora QualyFast. A Defesa Civil esclarece ainda que está à disposição para fazer vistorias nos casos de grandes rachaduras e risco iminente de desabamento.

Já a construtora Qualyfast, não respondeu até o fechamento desta matéria.

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]