Mortes em rodovias sob concessão caem 41% no feriado

O número de vítimas fatais em acidentes nas principais rodovias estaduais caiu 41% durante o feriado prolongado de Tiradentes em comparação ao ano passado. A Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo) registrou uma média diária de 2 mortos em 2017, considerando o período de quinta à domingo nos 6,9 mil quilômetros de rodovias estaduais concedidas. No ano passado, a média foi de 3,4 mortes por dia considerando do feriado prolongado de 2016 com saída na quinta-feira e retorno no domingo.

Balanço de 2017. No primeiro trimestre desse ano a redução foi de 4% no total de acidentes registrados em comparação ao mesmo período do ano passado. Em 2016, o número de acidentes foi de 9.022, contra 8.624 ocorrências registradas entre janeiro e março de 2017. A histórica melhoria das condições de segurança das rodovias paulistas é resultado das diretrizes traçadas e as metas estratégicas para as 20 concessionárias, o que engloba as principais rodovias estaduais como, por exemplo, os Sistemas Anhanguera-Bandeiras, Anchieta-Imigrantes e o Corredor Ayrton Senna/Carvalho Pinto. “Passamos a investir mais em ações para reduzir a gravidade dos acidentes, adotando como diretriz o conceito da rodovia que perdoa”, explica o gerente de segurança e sinalização da Artesp, Carlos Campos.

Na busca pela redução da gravidade dos acidentes, a área de segurança da Artesp tem olhado as rodovias com uma lupa para identificar, por exemplo, elementos que estejam em situação com potencial para agravar um acidente, como árvores e postes. “Grandes obras como duplicações e marginais são importantes e estão sendo feitas, mas observamos que os acidentes acontecem mesmo nas melhores rodovias porque em 95% dos casos há falha do motorista. Então, além de adotar medidas para que os acidentes não aconteçam, passamos a focar também na redução da gravidade, uma vez que os acidentes são imprevisíveis e ocorrem mesmo quando a via está em excelentes condições”, explica Carlos Campos.