Auxiliar de limpeza morta a tiros pode ter sido vítima de crime passional

Funcionária de uma empresa prestadora de serviço do Aeroporto Internacional de São Paulo–Guarulhos, em Cumbica, Evelyn Pereira, de 24 anos, foi assassinada nas primeiras horas desta sexta-feira (26). Ela estava a caminho do trabalho quando foi abordada na avenida Natália Zarif, próximo à ponte que dá acesso do Terminal Taboão.

Ao ser abordada pelo criminoso, a vítima não teve tempo de reagir e foi atingida por dois tiros, na cabeça e tórax, morrendo no local. Pessoas que ouviram os disparos, acionaram a polícia ao depararem com o corpo de Evelyn caído às margens do córrego do rio Baquirivu-Guaçu. No primeiro momento, os policiais que atenderam a ocorrência trabalharam com a possibilidade de que a mulher foi vítima de latrocínio (roubo seguido de morte), porém, com a chegada da perícia, observaram que os pertences da vítima não haviam sido levados.

Uma segunda linha de investigação aponta para crime passional. A jovem saiu recentemente de um relacionamento em união estável, tendo tido dois filhos: uma menina, de 5 anos, e um menino, de 2 anos. Separada a pouco tempo, Evelyn teria confidenciado a amigos que vinha sofrendo ameaças por parte de seu ex-companheiro que, inclusive, foi encontrado pela polícia em casa horas depois do crime.

Os investigadores solicitaram que ele realizasse exame residuográfico de chumbo, capaz de confirmar ou não se ele fez algum disparo de arma de fogo. A Polícia Civil, que já instaurou inquérito, ouvirá no decorrer da semana os familiares e amigos mais próximos de Evelyn. Também irá procurar imagens de câmeras de segurança da região para tentar identificar o autor do homicídio.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

Foto: Ivanildo Porto