Unidades do CEU com obras paralisadas seguem com prazo indefinido para entrega

A expansão do Centro Educacional Unificado (CEU) permanece indefinida. Segundo o secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel), Alexandre Zeitune, ao prestar contas de sua pasta na audiência pública que discute a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), nesta quinta-feira (1º), na Câmara Municipal, a continuidade das obras depende da conclusão de análises que estão em andamento.
“Já temos algumas análises em andamento. Faltam detalhes que não são nossos. O governo federal já veio fazer as medições e estamos cruzando as informações”, declarou o secretário da Secel, Alexandre Zeitune.

Quatro unidades do CEU – Bonsucesso, Itapegica, Parque Continental e Parque São Domingos -, estão com suas obras paralisadas ou em ritmo lento. No entanto, o caso mais emblemático é o que está localizado na região de Bonsucesso. Com obras iniciadas em 2013, o projeto foi orçado em R$ 41 milhões, porém, Zeitune afirma que o valor atual é de R$ 43 milhões.
“Foram empregados R$ 23 milhões e ainda faltam mais R$ 20 milhões. Lógico que vamos rever e fazer aquilo que cabe no nosso orçamento. Com R$ 20 milhões nós podemos reformar tantas creches ou comprar novos equipamento”, observou.

O secretário preferiu não referendar qualquer data de entrega das unidades escolares, mas atribuiu o atraso aos processos burocrático. De acordo com ele, a prefeitura fez consultas sobre qual maneira seguir com o processo junto ao governo federal, já que existe investimento da União, e também ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP).
“Nem tudo é na velocidade do governo municipal liderado pelo prefeito Guti. Este é rápido. Na hora que a gente fechar a questão, vamos respeitar os organogramas. Cada um dentro da sua obra”, concluiu.

Reportagem: Antônio Boaventura
[email protected]

Foto: Ivanildo Porto