Paciente aguarda há mais de um ano por cirurgia no HMU

O paciente Keilliton Pronsati, 26, morador do bairro Vila Galvão, aguarda há um ano e dez meses para a realização de uma cirurgia ortopédica no Hospital Municipal de Urgências (HMU), após rompimento do ligamento, ocasionado durante uma queda em um sítio, enquanto ocorria uma festa em setembro de 2015.

“No mês de setembro irá completar dois anos em que aguardo pela cirurgia e a desculpa é que não operei ainda por falta de material do hospital”, afirmou Pronsati, que atualmente está desempregado e realiza um curso de Bombeiro Civil.

A última consulta do paciente foi há dois meses, e a próxima está marcada para esta quinta-feira (13). “Em cada consulta, questiono o médico sobre a data da cirurgia e sempre recebo a mesma resposta, sem previsão, e retorno daqui entre 50 e 60 dias”, revelou Pronsati.

Apesar do problema no ligamento, o paciente afirma que não sente dores, mas alega que há um incomodo quando sobe escadas. A reportagem do HOJE entrou em contato com o Instituto Gerir, responsável pela administração do HMU, que em nota, se manifestou que as reclamações do paciente sobre a falta de material para a realização da cirurgia vem antes do inicio da gestão.

“As reclamações do paciente Keilliton Prosanti são anteriores ao início da nova gestão do Hospital Municipal de Urgências (HMU), que aconteceu em 2 de maio. Desde então não falta  material. O paciente, inclusive, já tem consulta marcada para o dia 13 de julho, às 7h, quando será atendido pela clínica de ortopedia para avaliação e encaminhamentos necessários”.

Reportagem: Ulisses Carvalho

[email protected]