Prefeitura economiza R$ 8,5 mi por ano com a ausência de cobradores em microônibus

A Prefeitura de Guarulhos economiza cerca R$ 8,5 milhões por ano com a ausência de cobradores nos veículos do sistema alternativo de transporte. O município conta com 288 veículos para esta prestação de serviço, que possuía dois profissionais por carro do sistema.

“A tendência é que não tenha mais cobrador nos veículos de transporte por conta da tecnologia. Com essa medida adotada em dezembro de 2015, a prefeitura economiza cerca de R$ 8,5 milhões por ano. E ela só foi adotada por conta da dificuldade que a Prefeitura estava tendo para custear o subsídio”, declarou Antônio Borges, presidente da Coopertransguaru.

Apesar de ter como atribuição central a cobrança de valores dos passageiros, o cobrador também auxilia no embarque e desembarque dos usuários. Com sua ausência, estas atribuições passam a ser exclusivamente do motorista. Entretanto, Borges entende que o acumulo de funções possa prejudicar a segurança dos transportados.

“A orientação é a de que não pode andar com o veículo em movimento. O veículo só consegue andar com as portas fechadas e o atendimento deve ser feito com ele parado. Só vejo esta medida como negativa em relação ao emprego. Foi à ação que o governo encontrou para manter o sistema”, explicou o dirigente.
Já o secretário de Transportes e Trânsito, Giuliano Locanto, disse que “esta é uma realidade no país”. Locanto ressaltou que os cobradores que atuam no sistema alternativo ou alimentador de transporte no município passam por um processo de reciclagem e redirecionamento para outras funções que o sistema contempla.

Antônio Boaventura
[email protected]