Parque de Guarulhos segue fechado a cinco dias pelo Estado após surto de febre amarela

O Parque da Cantareira-Núcleo Cabuçu segue fechado há cinco dias pelo Governo do Estado de São Paulo, após o surto de febre amarela. Entre os cuidados divulgados pela Secretaria de Saúde estão manter distância das matas, além da orientação de não mexer em macacos, lembrando que o animal não transmite a doença, sendo vítima do vírus.

Os casos de febre amarela começaram após um macaco ser encontrado morto no Parque Horto Florestal, em São Paulo, na última sexta-feira (20), com a presença do vírus. Após essa situação, o Horto Florestal e o Parque da Cantareira-Núcleo Cabuçu foram fechados no último sábado (21), além da presença de técnicos da vigilância sanitária que percorrem os locais na possibilidade de coletar alguma amostra.

A meta do Estado é a vacinação de um milhão de pessoas, e quanto a Guarulhos, no momento, não há mudanças em relação ao critério de vacinação da febre amarela. Nesta última terça-feira (24), mais outro parque foi fechado na Zona Norte de São Paulo, dessa vez, o Parque Anhanguera, além da recomendação de não visitação a outros dois parques, o Linear Canivete e Córrego Bispo.

Além de São Paulo, as cidades de Campinas e Jundiaí também realizam campanhas de vacinação contra a febre amarela após ser encontrados macacos mortos nas duas cidades. Em Jundiaí, um parque chegou a ser fechado, além da confirmação da morte de 27 macacos.
A transmissão da febre amarela é feita por mosquitos para as pessoas em áreas urbanas ou silvestre. Entre os sintomas estão febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, além de olhos e pele amarelados.

Foto: Luciana Reis