Moradores próximos ao zoológico não receberão vacinas contra a febre amarela

Os munícipes que moram próximo ao Zoológico Municipal, não receberão vacinas contra a febre amarela, e de acordo com a Secretaria da Saúde, que divulgou na tarde desta sexta-feira (27), que como medida preventiva, a Secretaria do Meio Ambiente está colocando telas antimosquitos nos recintos dos primatas do zoológico, lembrando que o local até o momento não registrou nenhuma morte de macaco.

Como recomendação a secretaria também destaca que a população mantenha distância das matas, e relembrou que os casos de febre amarela no país, foram de pessoas que residiam em áreas rurais. Para os moradores próximos ao local, a situação é de medo, principalmente com o número de parques fechados em São Paulo, totalizando 15, divulgados nesta sexta-feira (27).

“O medo aqui é grande, ninguém fala nada”, disse a secretária Vivian Priscila Fieschi, 39, moradora da Vila Rosália, destacando que mesmo com a situação, o número de pessoas que visitam o zoológico, ainda não diminuiu. As vacinas serão distribuídas apenas para os moradores que residem nas regiões próximas a Mata Atlântica, como Recreio São Jorge, Cabuçu e Jardim Cambará, lembrando que a secretaria de saúde destaca que o município segue a orientação do Estado e neste atual momento, ainda não nenhuma determinação de que moradores próximo ao zoológico sejam vacinados.

Já a Secretaria de Saúde do Estado divulgou que só é necessário tomar a vacina, as pessoas que residem realmente próximas as regiões, para evitar a formação de filas. Confira o posicionamento da secretaria do estado:

“O Centro de Vigilância Epidemiológica estadual esclarece que o documento enviado pela Prefeitura de Guarulhos à Secretaria de Estado da Saúde é uma solicitação de apoio para estratégia de vacinação, e em nenhum momento especifica qualquer quantitativo de doses. Nesta sexta-feira, 27 de outubro, a Secretaria destinou 50 mil doses para início das ações de vacinação por parte da Prefeitura, a quem compete organizar a dinâmica de vacinação em seus postos de saúde. A pasta seguirá acompanhando o cenário epidemiológico do entorno do Horto Florestal e Parque da Cantareira para dar suporte contínuo às estratégias preventivas de vacinação necessárias a esses locais. Simultaneamente, segue em contato com o Ministério da Saúde para garantir o abastecimento de doses”.