Globo demite William Waack após caso de racismo

O diretor-geral de jornalismo da Globo, Ali Kamel, divulgou um comunicado nesta sexta-feira (22) informando o desligamento do jornalista William Waack, 65. O apresentador trabalhou para a emissora por 21 anos e estava afastado desde o dia 8 de novembro.
“A TV Globo e o jornalista decidiram que o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham”, disse Kamel, em comunicado enviado aos funcionários.
Waack foi afastado do “Jornal da Globo” depois de o ex-operador de VT Diego Rocha Pereira divulgar um vídeo no qual mostra o jornalista fazendo comentários racistas durante a cobertura da eleição americana no ano passado.
O fato aconteceu antes de uma entrevista com Paulo Sotero, diretor do Brazil Institute, do Wilson Center, num estúdio em frente à Casa Branca, nos EUA. O apresentador teria se irritado com a buzina de um carro e afirmado que o barulho era “coisa de preto”.
O vídeo foi divulgado em um grupo de WhatsApp de editores de TV antes de chegar à web.
No comunicado, a Globo ressalta seu repúdio ao racismo e exalta a contribuição do jornalista para com a emissora. “A TV Globo reafirma seu repúdio ao racismo em todas as suas formas e manifestações. E reitera a excelência profissional de Waack a imensa contribuição dele ao jornalismo da TV Globo e ao brasileiro. E a ele agradece os anos de colaboração”.
Waack é formado em jornalismo pela PUC-SP (Pontifícia Universidade Católia de São Paulo) e começou na Globo como correspondente em Londres, na Inglaterra, em 1996. Em 2000, ele retornou ao Brasil para trabalhar como repórter e produzir séries especiais para o “Jornal Nacional” e outros telejornais. Em 2005, tornou-se âncora do “Jornal da Globo”.
O jornalista também passou por Redações do “Jornal do Brasil”, “Jornal da Tarde”, “O Estado de S. Paulo” e pela revista “Veja”.
A Globo também informou que Renata Lo Prete assume definitivamente a apresentação do “Jornal da Globo” e o jornalista Heraldo Pereira passa a comandar o “Jornal das Dez”, da GloboNews.
Leia o comunicado da Globo.
“Em relação ao vídeo que circulou na internet a partir do dia 8 de novembro de 2017, William Waack reitera que nem ali nem em nenhum outro momento de sua vida teve o objetivo de protagonizar ofensas raciais.
Repudia de forma absoluta o racismo, nunca compactuou com esse sentimento abjeto e sempre lutou por uma sociedade inclusiva e que respeite as diferenças. Pede desculpas a quem se sentiu ofendido, pois todos merecem o seu respeito.
A TV Globo e o jornalista decidiram que o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham.
A TV Globo reafirma seu repúdio ao racismo em todas as suas formas e manifestações. E reitera a excelência profissional de Waack e a imensa contribuição dele ao jornalismo da TV Globo e ao brasileiro. E a ele agradece os anos de colaboração.”

(Folhapress)
Foto: Reprodução/Youtube

- PUBLICIDADE -