Moradores do Residencial Flora reclamam de problemas no abastecimento de água

Moradores do Residencial Flora, localizado na Vila Nova Bonsucesso, reclamam do constante problema de abastecimento de água desde a sua entrega no ano de 2014. Para sanar este impasse, a construtora responsável pela construção do empreendimento e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) apontam a instalação de um reservatório classificado de pulmão como alternativa para solucionar este impasse.
“O problema do abastecimento do portal flora é desde quando a gente chegou aqui em julho de 2016. A gente já vem sofrendo com esta falta de abastecimento. Hoje a gente faz rodízio e mesmo assim o abastecimento do Saae reduzido de 12 horas para 6 horas por causa do calor”, explicou Robert Costa, síndico geral do Portal Flora.

Entretanto, Costa revelou que tanto a Qualyfast quanto a Caixa e o SAAE afirmam que o residencial possui problemas internos relacionados a tubulação do sistema de abastecimento de água. Quase 5 mil pessoas habitam naquela área.
“Constataram que estamos com problemas interno e que esse problema é da construtora. Eles estão soltando a vazão plena, mas está vindo picotado e não está conseguindo encher a caixa do condomínio. Estão fornecendo o caminhão pipa toda noite. O problema maior é a tubulação”, disse.

Em contrapartida, a Qualyfast ressalta que em reunião com representantes do Saae foi esclarecido que a obra foi executada conforme as diretrizes aprovadas pela autarquia. Contudo, será instalado um reservatório pulmão, na tentativa de minimizar o problema. A Caixa afirma que as obras foram realizadas conforme diretrizes fornecidas pelo Saae e classifica o abastecimento de água irregular na região.
Por sua vez, o Saae entende que a água que chega pela rede é suficiente para abastecer todos os condôminos, mas a rede interna não foi dimensionada adequadamente para dar conta da demanda. A Prefeitura de Guarulhos, por meio da Secretaria de Habitação, notificou extrajudicialmente no final de dezembro do ano passado a Qualyfast Construtora e a Caixa Econômica Federal para que realizem as adequações necessárias.

Antônio Boaventura
[email protected]
Foto: Ivanildo Porto