Criação de fundo financeiro para o Zoo e reorganização da Secel voltam à Câmara

Após quase um mês, propostas da Prefeitura de Guarulhos como a criação do fundo financeiro para o Zoológico Municipal, que tem como finalidade custear a manutenção do espaço, e a reorganização estrutural da Secretaria de Educação, Cultura, Esporte e Lazer (Secel) voltam à pauta da Câmara Municipal nesta terça-feira (15).

A alteração mais robusta irá acontecer na Secel. Com a aprovação pela Casa de Leis do projeto apresentado pela prefeitura, a Secel passou a atender como Secretaria de Educação e Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer. Não haverá a criação de novos cargos nestas pastas.

Já a Secretaria de Assuntos Difusos irá se chamar Secretaria de Direitos Humanos. A pasta é administrada pelo vereador licenciado Lameh Smeili (MDB).

A administração municipal também criou o Departamento de Acompanhamento e Controle de Ocupações Irregulares, ligada a secretaria de Justiça. Este departamento tem como propósito atuar na solução de problemas relacionados a habitação irregular no território guarulhense.

Para melhorar a manutenção estrutural do zoológico do município, a Prefeitura de Guarulhos conta com a aprovação do projeto de lei que cria o Fundo do Zoológico Municipal de Guarulhos (FundoZoo). A proposta será avaliada pelos vereadores em sessão parlamentar a ser realizada nesta terça-feira (10).

“Como o dinheiro do fundo do meio ambiente não pode ser usado para manutenção e obras, este fundo foi criado para facilitar o processo de manutenção do zoológico. Lá está largado e com o passar do tempo creio que vai deixar de existir. Como está em condição precária o governo resolveu criar o fundo”, explicou o líder do governo, vereador Eduardo Carneiro (PSB).

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto