Secretaria de Saúde alerta para número de mortes em decorrência da gripe no país

Secretaria de Saúde alerta para número de mortes em decorrência da gripe no país

Mesmo Guarulhos não tendo registrado nenhum óbito por conta da gripe até o momento, 158 mortes já foram confirmadas no País este ano, sendo 40 em Goiás, 33 em São Paulo, 26 no Ceará e 17 na Bahia. Por isso, a Secretaria Municipal de Saúde faz um alerta para que a população dos grupos de risco elencados pelo Ministério da Saúde procure uma das 69 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade o quanto antes e se vacine contra a doença. A Campanha Nacional de Vacinação termina no próximo dia 1º.

Devem se vacinar contra a gripe os trabalhadores da área de Saúde; indígenas; pessoas com 60 anos ou mais; gestantes, mulheres que tiveram filho nos últimos 45 dias; crianças de seis meses até quatro anos, 11 meses e 29 dias; professores das redes pública e privada de ensino; e portadores de doenças crônicas mediante solicitação médica. Também será imunizada a população privada de liberdade, incluindo adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas (Fundação Casa), além de funcionários do sistema prisional.

As doses contra a Influenza protegem contra os vírus A (H1N1), A (H3N2) e B, os mesmos que já causaram os 158 no país até o momento, de um total de 1005 pessoas infectadas pela gripe este ano. Foram 99 mortes por complicações decorrentes do agente H1N1, 30 pelo H3N2 e 13 pelo subtipo B. Os números são do Informe Epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde, que contabilizou o total de casos no Brasil até último dia 5 de maio.

Segundo o Ministério da Saúde, dos 158 óbitos confirmados, 117 deles, ou seja, 74,1% apresentaram pelo menos um fator de risco para complicação, com destaque para as pessoas com 60 anos ou mais, cardiopatas, pneumopatas e portadores de diabetes.

“Esses números mostram a importância da vacinação como forma de proteção. Todas as pessoas dos grupos de risco são mais suscetíveis ao agravamento das doenças respiratórias. Portanto, devem se vacinar”, explicou a enfermeira responsável pela Vigilância Epidemiológica Municipal, Ermelinda Tomé.

Foto:  Márcio Lino / PMG

Deixe seu Comentário