Veolia pretende ampliar vida útil do aterro em 10 anos e descarta desapropriações

O grupo francês Veolia pretende ampliar a vida útil do aterro sanitário CDR Pedreira, que está próximo de seu esgotamento total, em 10 anos. A empresa, que também administra o ativo municipal por meio da Proactiva Meio Ambiente Brasil, descartou a possibilidade de promover desapropriações na região do Cabuçu para executar esta ação. A Câmara Municipal promove no próximo mês audiência pública para discutir o assunto.

A empresa informou que os estudos e projetos para ampliação foi elaborado por equipe uma multidisciplinar formada por mais de 40 especialistas, atendendo rigorosamente os preceitos técnicos, leis e normas, e que se trata do aumento da vida útil de 10 anos, sem aumento da quantidade de resíduos recebida atualmente.

Informou ainda por meio de nota “que todo o processo de licenciamento é realizado pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo” e atualmente encontra-se na fase de audiências públicas, que objetiva a busca contínua de soluções, que atendam as sugestões e críticas inerentes a este evento, com muito diálogo e transparência.

Além de ressaltar os procedimentos adotados para esta ação, a Veolia afirma que não haverá nenhuma desapropriação, nem mesmo ocorrerá qualquer intervenção em recursos hídricos (córregos e/ou nascentes), e contará com várias medidas de proteção incluindo um cinturão verde com árvores nativas.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto