Confusão e longas filas na busca por combustível em Guarulhos

Com inúmeros postos fechados em função da greve dos caminhoneiros, que entrou nesta segunda-feira (28) em seu 8º dia, a procura por combustível na cidade foi marcada por muita confusão e longas filas. Em um dos poucos estabelecimentos na região central com estoque do insumo para atender a demanda, o litro de gasolina comum saia por R$ 5,70.

O HOJE obteve a informação de que este posto de combustível, que tem a bandeira da Petrobras, recebeu dois caminhões ainda na madrugada desta segunda. Frentistas ouvidos não souberam explicar a procedência do produto. Contudo, funcionários da base da estatal no município garantiram que as atividades de carga e descarga estão suspensas até que a greve seja encerrada.

Além do alto valor cobrado pelo litro do combustível, o motorista também teve que ter muita paciência em função da longa espera pelo atendimento e as filas quilométricas formadas pelas pessoas que levaram seus galões, motoqueiros e outros condutores. No entanto, não existe qualquer perspectiva de reabastecimento dos demais estabelecimentos comerciais com venda autorizada de combustível na cidade.

“Isso aqui está uma verdadeira guerra. É o único lugar em Guarulhos para abastecer. Não sei a procedência, mas não tenho outro jeito a não ser arriscar, até porque não posso ficar sem trabalhar. Nunca vi algo igual ao que estou presenciando aqui”, disse o motorista de transporte por aplicativo, Antônio Sampaio, 37 anos.

O representante comercial Rogério Marques, 42, deixou o posto satisfeito pelo fato de poder abastecer o seu veículo, que utiliza para cumprir sua agenda profissional. “Agora me sinto um pouco mais aliviado. Torço para que o abastecimento seja normalizado em tempo curto e que as pessoas possam retomar sua rotina”, concluiu.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto