Prefeitura discute com Dersa compensações por conta das obras do trecho norte do Rodoanel

Em virtude dos problemas ocasionados no viário, em especial, de bairros da região do Cabuçu e desapropriações por conta da construção do trecho norte do Rodoanel, a prefeitura discute com a Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) compensações pelo transtorno causado. O tema também é pauta de uma comissão de estudos da Câmara Municipal.

“A alteração está em estudo em relação à parte viária, de projeto mesmo, para que haja diminuição no número de desapropriações, praticamente 50% a menos de desapropriação das casas do Haroldo Veloso”, ressaltou Paulo Carvalho, secretário de Governo.

O HOJE obteve a informação de que o prefeito Guti (PSB) esteve nesta quinta-feira (21) na sede da Dersa para discutir as compensações e uma possível mudança no projeto para que possa haver vias de acesso ao empreendimento viário na cidade. No entanto, desde o começo das obras não existe qualquer acordo assinado entre as partes para compensação.

Entretanto, a principal discussão nos encontros da comissão de estudos promovida pela Câmara Municipal, apesar deste ser um assunto de responsabilidade do Governo do Estado, foi à questão das desapropriações no bairro Haroldo Veloso. Ainda não foi revelado o número exato de residências que podem sofrer processo de desapropriação naquela área.

“A Associação de Moradores do Haroldo Veloso não se sente em segurança para orientação jurídica. Assim, ela enviará uma carta solicitando que a Comissão faça um encaminhamento junto à Ordem dos Advogados do Brasil para que se reúnam com os moradores que quiserem e expliquem a situação jurídica da questão”, explicou a vereadora Janete Pietá (PT), presidente daquela comissão.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto