GRU Airport descumpre acordo e não pretende reabrir ponte sobre o rio Baquirivu

Na terça-feira (28), foi realizada a 11ª reunião ordinária da Comissão Especial de Inquérito (CEI) responsável por apurar possíveis irregularidades cometidas pela concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos. O coordenador de planejamento de segurança do GRU Airport, Miguel Alves Trindade, afirmou que a ponte sobre o Rio Baquirivu-Guaçu permanecerá fechada para a população, apesar do acordo firmado em 2013, de que seria interditada para reformas e, posteriormente, reaberta.

 

“Nós temos um fluxo muito grande naquela área e, por conta disso, tivemos que fechar o acesso, porque não dava vazão no trânsito de veículos dos terminais de passageiros. A rodovia Hélio Smidt foi construída com essa finalidade”, disse Trindade. Segundo o coordenador, a decisão de utilizar a ponte como saída de emergência para uso exclusivo do aeroporto foi tomada com o aval da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

 

O advogado Luciano Bresciani apresentou documentos para comprovar a legalidade do fechamento da ponte. “Essa questão já foi debatida e levada ao Ministério Público Estadual e Federal pelo Sindicato dos Aeroviários, e houve, em ambos os Ministérios Públicos, a promoção de arquivamento desses inquéritos”, afirmou Bresciani.

 

Diante da afirmação de que a GRU Airport não pretende abrir a ponte que liga a rodovia Hélio Smidt à rua Jamil João Zarif, os vereadores que compõem a CEI decidiram sugerir ao Executivo a retirada de agentes de trânsito e da Guarda Civil Municipal que atuam no aeroporto. “Nós vamos falar com o Prefeito para que use o princípio da reciprocidade: tratar bem quem o trata bem. Essa é uma batalha da GRU contra o povo de Guarulhos”, destacou Marcelo Seminaldo (PT), Presidente da CEI.

 

A PRF será convocada a enviar um representante para a reunião da Comissão, agendada para a próxima terça-feira (7), às 9 horas da manhã.

Foto: Nico Rodrigues