Guti aposta na comunicação para orientar a população sobre atendimento na saúde

Assunto:Prefeito Guti Local:Salão Nobre Data:29.08.2017 Foto:Márcio Lino/PMG

O prefeito Guti (PSB) aposta nas plataformas da rede social e na comunicação visual nas áreas internas das unidades de saúde do município para orientar a população sobre o atendimento na rede. Com este processo, ele entende que a qualidade nesta prestação de serviço pode ganhar um salto de qualidade pelo fato do usuário, caso seja necessário, procurar o posto correto.

“Nós estamos fazendo este trabalho de educar as pessoas por que muitas vezes elas não sabem. E não é culpa delas. Dependendo do seu grau de necessidade, o usuário não sabe qual unidade procurar. Muitas vezes chegam com uma unha encravada ou com um dedinho fissurada n o HMU”, explicou.

Para o chefe do Executivo, a busca pelo atendimento preciso pode evitar a superlotação e até mortes, já que entende haver casos distintos da finalidade que cada uma das unidades específicas como Unidade Básica de Saúde (UBS), Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital Municipal de Urgências (HMU) tem como finalidade. Entretanto, Guti afirma que a maior parte dos investimentos nesta área serão concentrados na atenção primária e secundária.

“Sabemos que temos de avançar muito, principalmente nas Unidades Básicas de Saúde, que é a atenção primária e a atenção secundária. É onde estão concentrados os maiores problemas e a resolução é um pouco mais barata em relação a uma urgência e emergência, aonde a pessoa chega num grau de debilidade muito grande, e os recursos são maiores para conseguir tratar”, concluiu.

Em maio do ano passado, a prefeitura inaugurou o Cemeg na região de Cumbica, que entre tantas especialidades como acupuntura, fisioterapia, nutrição e urologia. Com a reinauguração da unidade Cantareira, localizada na avenida Brigadeiro Faria Lima, o município passou a ter quatro centros de especialidades em funcionamento pela cidade. Estes têm como objetivo suprir o final da parceria que a administração pública tinha com o hospital Nipo Brasileiro.

Antônio Boaventura

[email protected]