Haddad atribui crescimento em pesquisa a projeto de governo

Em visita a cidade de Guarulhos nesta quarta-feira (19), o candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, atribuiu o seu crescimento nas pesquisas de intenção de voto, o que lhe garantiu o segundo lugar, a sua plataforma de governo para os próximos quatro anos, caso seja eleito.

Divulgada na noite de terça-feira (18), a última pesquisa do Ibope mostrou que o petista cresceu 11 pontos, chegando a 19% das intenções de voto, e se isolando na segunda colocação atrás de Jair Bolsonaro (PSL), que oscilou dois pontos porcentuais para cima e chegou a 28%.

“Nós crescemos 11 pontos percentuais em uma semana e isso é mérito do projeto que a gente representa. Isso não é obra de uma andorinha. Nós estamos fazendo um verão inteiro. Vamos voltar a fazer o Brasil sonhar e ser feliz. Afastar a violência, a intolerância e o ódio e retomar o processo de desenvolvimento com oportunidade para todos”, enfatizou.

De acordo com Haddad, a proposta oferecida por seus adversários tem como objetivo promover a exclusão social. Ele citou o período dos governos Lula e Dilma Rousseff como forma de convencimento para continuidade dos projetos para o país.

“Não precisa ficar ninguém de fora do projeto Brasil como eles [adversários] querem. Eles só pensam em exclusão. Não podem ver gente em restaurante e aeroporto têm alergia do povo. Vamos lembrar o quanto fomos felizes durante 12 anos e foi à oposição que não aceitou a derrota em 2014 e o Brasil virou essa bagunça”, disse.

O candidato do PT classificou como um “pequeno desastre” a proposta do assessor econômico do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes, de unificar a alíquota do Imposto de Renda. “É um pequeno desastre porque vai fazer o pobre, que já paga mais imposto que o rico, pagar ainda mais”, comentou o ex-prefeito de São Paulo.

Haddad ainda prometeu não recriar a CPMF, como tentou a presidente cassada Dilma Rousseff. Paulo Guedes, por sua vez, defendeu adotar um imposto sobre movimentações financeiras semelhante ao tributo.

Acompanhado da sua candidata a vice, Manuela D’Ávila (PCdoB), o presidenciável petista foi recebido por lideranças políticas da cidade, entre elas o deputado estadual Alencar Santana, e por grande número de militantes.

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto