Vereadores dizem que falta de credibilidade no Legislativo explica a derrota nas urnas

Antônio Boaventura

[email protected]

Foto: Ivanildo Porto 

A Câmara Municipal de Guarulhos teve neste pleito eleitoral nove representantes. No entanto, nenhum deles conseguiu a eleição para os cargos públicos que disputaram. Tanto o vereador Edmilson Souza (PT), que concorreu a uma das 94 cadeiras na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp), quanto o vereador Eduardo Soltur (PSB), envolvido na corrida pelo Congresso Nacional, atribuíram o desempenho nas urnas à falta de credibilidade do Legislativo e ao êxodo de votos.

Soltur entende que a ampliação da representação de Guarulhos nos Legislativos estadual e federal passa por uma mudança de comportamento cultural do eleitor guarulhense, que tradicionalmente opta por destinar seus votos para candidatos de outros municípios. Foram eleitos como deputado estadual Márcio Nakashima (PDT) e Jorge Wilson (PRB) e como deputado federal Alencar Santana (PT) e Eli Corrêa Filho (DEM).

“Guarulhos não conseguiu fazer nenhum deputado com os votos válidos no município. Os deputados que se elegeram teve muito pouco voto na cidade. Essa cultura precisa mudar, mas infelizmente as pessoas não sabem o que representa um deputado para a cidade”, disse o peessebista.

Já o parlamentar petista, líder da oposição na Câmara, também atribuiu o desempenho à falta de credibilidade que assola a Casa de Leis. Ele acredita que a transmissão das informações legislativas e ausência de grandes debates prejudicam a imagem dos vereadores.

“O prejuízo que nós tivemos reflete a falta de reconhecimento e credibilidade do Legislativo municipal. Nós não conseguimos aprovar os projetos dos vereadores e as sessões não debatem os grandes temas da cidade. Tudo é a toque de caixa e isso não dá nenhum protagonismo para a Câmara”, concluiu.