Guti e Márcio França prometem retomar as obras do hospital da Mulher no Renato Maia

Antônio Boaventura

[email protected]

O prefeito Guti e o governador de São Paulo, Márcio França, ambos do PSB, prometeram retomar as obras do Hospital da Mulher, no Parque Renato Maia. Tanto Guti como França pretendem torná-lo referência no atendimento à mulher, seja no atendimento ginecológico e também para as vítimas de violência.

As obras do hospital estão paradas há três anos, devido à falta de entendimento entre os governos do PT e PSDB, em níveis municipal e estadual.

“Este hospital está com as obras paralisadas há três anos e temos a obrigação de fazê-lo funcionar. O governo do estado financiou estas obras por muito tempo, mas infelizmente paralisou”, declarou o prefeito em vídeo gravado no local das obras.  “Conversei com o governador Márcio França para que a gente tenha um hospital referência para as mulheres e que cuide dos casos de ginecologia e daqueles decorrentes de violência contra a mulher”, disse.

Contudo, o governador se comprometeu a colaborar com o município para que o referido hospital possa sair do papel e ter funcionalidade. Além de ratificar este propósito, o peessebista destacou ações realizadas em seu mandato como o acordo para concessão do Saae para a Sabesp e o congelamento da dívida de R$ 3,2 bilhões da autarquia com a empresa de capital misto.

“Já tivemos muitas conquistas como a água, o fim do rodízio, o esgoto e o fim da dívida [do Saae com a Sabesp]. Mas, agora é o Hospital da Mulher. A gente tem que concluir essa obra e terá o nosso apoio. Vamos colocar para funcionar esse Hospital da Mulher de Guarulhos, que vai ser um exemplo para todo Brasil. Eu tenho palavra e o que eu falar vai acontecer. O [hospital] de Guarulhos vai ser o primeiro de muitos que vamos fazer”, falou Márcio França.

Em setembro de 2011, vereadores e deputados federais e representantes de entidades da área da saúde do município entendiam que seriam necessários aproximadamente R$ 10 milhões para concluir as obras. Naquele período, Carlos Derman, secretário de Saúde e vice-prefeito na gestão petista do ex-prefeito Sebastião Almeida, agora no PDT, revelou que havia naquela benfeitoria o investimento de R$ 6 milhões repassados entre prefeitura e governo do estado.

Foto: Ivanildo Porto