Antônio Boaventura

antonio.boaventura@guarulhoshoje.com.br

Instalada há mais de 30 dias, a Comissão Especial de Inquérito (CEI) da Câmara, que investiga suposto desvio de R$ 5 bilhões do caixa do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) durante as gestões municipais dos ex-prefeitos petistas Elói Pietá e Sebastião Almeida, agora no PDT, terá como norteador documento com 1.500 páginas enviado pela autarquia para a comissão sobre os processos utilizados naquele período.

“Recebemos material do Saae na última quinta-feira (25) com 1.500 páginas. E, logo, não conseguimos ler tudo. E vamos começar a estudar e ouvir algumas pessoas, como o superintendente do Saae para explicar a origem daquele áudio vazado”, disse o presidente da comissão, vereador Professor Jesus (DEM).

Nesta quinta-feira (1º), os integrantes da comissão irão discutir a convocação ou não de Ibrahim Faouzi El Kadi, superintendente do Saae, para explicar a procedência do áudio em que ele faz algumas revelações sobre os valores supostamente desviados e outros temas.

No entanto, a Câmara Municipal autorizou no começo do mês passado o prefeito Guti (PSB) a conceder os serviços do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) para a Sabesp pelos próximos 40 anos. Segundo informações obtidas pelo HOJE, o próximo passo desta operação será a transição administrativa da autarquia para a empresa de capital misto, que tem como prazo máximo 150 dias.

O líder do governo na Câmara, vereador Eduardo Carneiro (PSB) não acredita que a gestão da Sabesp na cidade vá prejudicar a investigação da CEI envolvendo a autarquia. “Muito pelo contrário. Aí que ela aumenta o seu valor. Isso por que a colocação da oposição nesta Casa é de que poderia verificar outra alternativa. Em 2001, o Partido dos Trabalhadores começou o seu mandato com uma dívida de R$ 201 milhões e agora estamos com uma dívida de R$ 3,4 bilhões. Aumento de 1.500%”, criticou Carneiro.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here