GRU Airport diz que Terminal 2 passa por obras para a obtenção do AVCB

Antônio Boaventura

[email protected]

O GRU Airport, gestor responsável pelo Aeroporto Internacional de São Paulo – Guarulhos, em Cumbica, informou que o Terminal 2 passa por obras de adaptação para que aquela estrutura possa obter a autorização de funcionamento do Corpo de Bombeiros e a devida emissão do laudo do Auto de Vistoria (AVCB). Entretanto, a administradora não revelou o prazo para conclusão da reforma.

A concessionária ressalta que as obras de modernização naquela área específica ocorrem desde 2014, e que tem como propósito não causar transtornos para os passageiros que utilizam aquele local durante embarque ou desembarque. A ausência da documentação exigida para funcionamento foi revelada por representantes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (SDU) no último encontro da Comissão Especial de Inquérito (CEI), que investiga a conduta e postura do GRU Airport com a legislação municipal.

“Os estabelecimentos comerciais não tinham alvará de funcionamento e com o trabalho da CEI, eles passaram a adquirir as licenças de funcionamento, e, além disso, chamou a atenção o fato de a SDU revelar que não há laudo do Bombeiro na Asa 2 do Aeroporto”, disse o presidente da CEI, vereador Marcelo Seminaldo (PT).

“Além de gerar mais comodidade, as obras também fazem parte de uma série de implementações e projetos que vêm sendo adotados para a obtenção do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros e todo processo é informado e atualizado, constantemente, junto ao órgão competente. Procurada, a prefeitura optou por não se pronunciar sobre o assunto”, informou o GRU Airport por meio de nota.

“Vale ressaltar que a segurança é questão prioritária para a administração do Aeroporto, que conta com uma moderna infraestrutura contra incêndio para atender qualquer tipo de ocorrência em todo o sítio aeroportuário. A Concessionária entende que o licenciamento da infraestrutura aeroportuária é de competência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), considerando tratar-se de serviço público federal”.

Foto: Ivanildo Porto