Após inúmeras denúncias de abuso sexual, Justiça decreta prisão preventiva do médium João de Deus

No inicio da tarde desta sexta-feira (14), a Justiça de Goiás determinou a prisão preventiva do médium João de Deus, 76, após inúmeras denúncias de abuso sexual que teriam sido cometidas pelo médium durante tratamentos espirituais na cidade de Abadiânia, cidade goiana.

Na quinta-feira (13), mesmo com o pedido de prisão preventiva, o  médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, queria continuar seus trabalhos espirituais na Casa Dom Inácio de Loyola. O advogado Alberto Toron, que defende o médium, apresentou petição nesse sentido nesta tarde, não em Abadiânia, mas em uma cidadezinha vizinha, chamada Alexânia.

O Ministério Público de Goiás já teria recebido mais de 300 denúncias de mulheres que afirmam ter sido vítimas de abuso sexual durante os tratamentos espirituais.

Foto: Agência Brasil