CPTM não tem prazo para nova licitação de espaços comerciais na linha 13-Jade

Antônio Boaventura

[email protected]

Aberto em outubro do ano passado, a licitação para ocupação e ou implantação de pontos comerciais no trecho da linha 13-Jade da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o processo não contou com nenhum interessado em explorar comercialmente os espaços. No entanto, a CPTM não se manifestou sobre a existência de um novo processo.

A proposta previa a possibilidade de instalação de lojas, quiosques e áreas de merchandising em uma das três estações da linha 13-Jade [Engenheiro Goulart (zona leste da cidade de São Paulo), Cecap e Aeroporto Guarulhos], que juntas possuem extensão de pouco mais de 12 quilômetros. O prazo para recebimento das propostas se encerraram em meados de novembro do ano passado.

“A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM comunica que a Sessão Pública de Concorrência em referência resultou ‘deserta’, tendo em vista que não houve apresentação de propostas”, diz o comunicado da empresa sobre o resultado na época.

A CPTM informou que estuda a publicação de um novo edital, porém, a nova diretoria, que tomou posse em janeiro, já iniciou estudos para definir qual o melhor modelo de negócio para o sistema, incluindo a Linha 13-Jade. O objetivo é formular, nos próximos seis meses, uma proposta atraente e lucrativa.

Já o governador João Doria (PSDB) quer maior acessibilidade dos passageiros da Linha 13-Jade, com os Terminais de embarque e desembarque do Aeroporto Internacional de São Paulo – Guarulhos, em Cumbica. Doria espera solucionar este impasse para reduzir os impactos causados pelo trajeto que é preciso fazer atualmente entre estação e terminais.

 “Já orientei o meu secretário de Transportes Metropolitanos que analise isso junto com o GRU [Airport], concessionário do Aeroporto. Não quero saber de problemas do passado e desentendimentos existentes. Eu quero uma solução”, disse o governador.

Foto: Ivanildo Porto