Reportagem: Ulisses Carvalho

ulissescarvalho@grupomgcom.com.br

Policiais civis de Guarulhos ligados ao 4° Distrito Policial prenderam dez homens, acusados por ‘crimes de pistolagem’, expressão utilizada para os assassinatos em decorrência da troca de dinheiro. Além de homicídio, a quadrilha também deverá responder por associação criminosa, porte ilegal de arma e tráfico de entorpecentes.

Cerca de 80 policiais participaram da operação, realizada na manhã de segunda-feira (15), que contou com 54 equipes e 38 viaturas. De acordo com a Polícia Civil, dos dez presos, seis fariam parte da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). A operação batizada Cactus, contou com apoio também de policiais de Mogi das Cruzes e São Bernardo do Campo.

Além da suspeita de praticar ‘crimes de pistolagem’ no Ceará, sendo acusados inclusive no assassinato de dois policiais, o grupo também é suspeito de praticar um homicídio em Guarulhos, que está em investigação atualmente pelo Setor de Homicídios e Proteção à Pessoa de Guarulhos (SHPP).

As prisões ocorreram nas cidades de Itaquaquecetuba, São Paulo e Guarulhos, no bairro Pimentas e Jardim Marilena. Durante a Operação Cactus, os policiais também prenderam duas pessoas que não estariam envolvidas com o grupo e uma mulher teria sido detida para averiguação no 4° Distrito Policial.

Com os suspeitos,  foi apreendido um fuzil 762, uma pistola nove milímetros,  uma pistola calibre 380, um revólver 38 e outro 32, além de maconha e cocaína que estariam embaladas para a venda. A investigação teria iniciado há quatro meses e o grupo estaria promovendo vaquejadas na região do Pimentas para a venda de entorpecentes.

Foto: Ivanildo Porto

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here