Guarulhos registra um suicídio a cada quatro dias

Depressão, suicidio
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Reportagem: Ulisses Carvalho
[email protected]

A cidade de Guarulhos registra um suicídio a cada quatro dias, de acordo com dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade do Ministério da Saúde (SIM- banco municipal), cujo o município registrou 57 óbitos. Os números foram atualizados até o dia 28 do mês passado, e desse número total de mortes, 12 ocorreram na faixa etária entre 35 e 39 anos, 10 entre pessoas de 30 a 34 anos, e outros 10 na faixa etária de 20 a 24 anos, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde.

Quanto à questão de tentativas de suicídio, a secretaria afirmou que a base de dados nesse quesito é o Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Ministério da Saúde (Sinan Net), que neste ano, até o mês passado, chegou a um levantamento de 71 tentativas de suicídio somente no município.

O combate ao suicídio é marcado pelo Setembro Amarelo, e tentando combater os casos de depressão entre os jovens, a Subsecretaria da Juventude de Guarulhos, tem o programa ‘Amigo estou aqui’, cujo  objetivo consiste mostrar ao jovem a diferença entre a tristeza e a depressão. Este projeto tem o intuito de dar a oportunidade para o jovem dizer para o amigo que pode contar com ele.

“Neste ano a Casa do Jovem atendeu 7 mil jovens nas escolas estaduais e mais 2 mil na sede do projeto, além disso, a Subsecretaria fez a divulgação dos serviços prestados nos eventos Juventude no Parque, no Pimentas e também no Dia do Trabalho”, informou em nota a administração municipal.

Rede municipal já realizou quase 900 atendimentos para pessoas em situação depressiva

Além da Casa do Jovem, que realiza o programa ‘Amigo estou aqui’, a prefeitura também informou que na rede municipal de saúde a assistência é realizada nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), e nos serviços especializados, como o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS).

“O paciente é acolhido na Atenção Básica e encaminhado para os serviços especializados quando necessário. Sobre os atendimentos que foram realizados neste ano para pessoas em situação depressiva, a Secretaria de Saúde dispõe da base do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA), do Ministério da Saúde, com dados até o mês de junho deste ano, que apontam para 893 atendimentos nos serviços da rede”, informou a secretaria.

Segundo a secretaria, além das consultas, a assistência também inclui a inserção do paciente em grupos, além de visitas domiciliares pelos profissionais de saúde. De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), atualmente cerca de 800 mil pessoas provocam a própria morte.

“Em nossa vida cotidiana, as pessoas estão se afastando mais das outras”, diz psicólogo

Em entrevista ao HOJE, o psicólogo Daniel Gil Gomes, 49, afirmou que em nossa vida cotidiana, está ocorrendo um maior distanciamento do contato físico, já que as pessoas estariam ficando mais frias. “Isso pode gerar uma solidão, a percepção de que não tem ninguém ao lado”, destacou.

Gomes destacou que atualmente vivemos em uma sociedade na qual os pais na sua grande maioria são separados, e os jovens ficam muito sozinhos, ocorrendo um distanciamento dos pais. “A primeira coisa a fazer é um trabalho em conjunto com a família. Eu trabalho o reforço dessa pessoa, reforço à mente, mostro que é importante viver, já que tudo na vida tem uma saída. A pessoa que pensa no suicídio ela perde a esperança no futuro”, afirmou.

Segundo o psicólogo, a depressão faz com que os jovens acabem se desiludindo da vida, podendo ter como problema principal, uma desilusão amorosa. “Já na vida adulta, o problema está ligado com a razão financeira, abandono ou separação”, destacou.

Dados do suicídio em Guarulhos

  • Número de mortes: 57
  • Número de tentativas: 71
  • Pessoas atendidas em situação depressiva na rede municipal: 893
  • Dados atualizados até 28 de agosto deste ano.