Comissão do Meio Ambiente da Câmara discute visitar aterro sanitário da cidade

Antônio Boaventura

[email protected]

A Comissão de Meio Ambiente da Câmara Municipal pretende organizar uma comitiva de vereadores para visitar o aterro sanitário da cidade. A comissão investiga os motivos que provocaram o deslocamento de terra da área em dezembro do ano passado.

Tanto a prefeitura quanto representantes das empresas envolvidas com o aterro foram convocadas pelos vereadores, mas, até o momento, segundo informações obtidas pelo HOJE, ninguém respondeu à convocação da comissão..

A empresa Cepollina Engenheiros Consultores foi à escolhida pelo governo municipal para a produção do laudo, que ainda não foi concluído. A reportagem contatou a empresa e foi informada que os responsáveis não se encontravam para falar sobre o assunto.

Contudo, o ativo municipal foi liberado pela Justiça em julho para aliviar o peso do maciço. Em agosto deste ano, Edmilson Americano, ex-secretário de Serviços Públicos e atual secretário de Governo, informou que a perita responsável pela produção do documento havia solicitado a prorrogação do prazo para conclusão dos trabalhos, que se encerrou no final do mês passado.

Em junho de 2017, o Legislativo municipal, por meio da Comissão Especial de Inquérito (CEI) instalada para investigar a necessidade da compra do ativo pelo ex-prefeito Sebastião Almeida por R$ 3,4 milhões, entendeu que a aquisição foi necessária para ampliação da capacidade do aterro, que estava próximo de seu esgotamento. O caso pode se tornar alvo de investigação do Ministério Público Federal (MPF).

Foto: Ivanildo Porto