Ato de professores encerra sessão legislativa da Câmara de Guarulhos

Foto: Ivanildo Porto

Antônio Boaventura
[email protected]

No dia dedicado aos professores, eles roubaram a cena e foram protagonistas durante a sessão parlamentar desta terça-feira (15), da Câmara Municipal. Tanto, que o protesto contra a possível terceirização das creches provocou o encerramento dos trabalhos parlamentares antes do previsto.

A prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, publicou em junho portaria que estabelece normas para a celebração de contratos de parcerias com entidades não governamentais ou privadas para a gestão destas unidades educacionais direcionadas para crianças de até 3 anos e 11 meses.

O vereador Eduardo Carneiro (PSB), líder do governo, entende ser o manifesto dos professores algo orquestrado pelo Partido dos Trabalhadores. “Quero fazer uma correção, quem veio não foi professor! Foi militante do PT, que por coincidência são professores. São coisas diferentes. Com relação à terceirização de dois equipamentos específicos, que estão largados. Guarulhos é uma cidade que tem uma deficiência muito grande no atendimento de creches e o governo tem que tomar uma iniciativa”, explicou.

Ele também usou como justificativa para a medida adotada pela prefeitura o fato de não ter quadro suficiente para atendimento dessa demanda e a falta de recursos para manter as unidades. Já a vereadora Genilda Bernardes (PT), acredita que a gestão de Guti não é capaz de eliminar o déficit educacional desta faixa etária e tampouco de discutir o assunto com os interessados.

 “É a maior comprovação da incompetência e do ato de fugir da realidade. Tudo o que se discute nesta Casa ou que falam contra o Guti, a culpa é do PT. E caso isso seja verdade, provavelmente estaremos eleitos na próxima eleição. É uma maneira de não enfrentar o debate. E por que terceirizar a creche?”, concluiu.