Jovem de Guarulhos fica curado do Covid-19 após quase 15 dias de luta contra a doença

O funcionário da Secretaria de Saúde de Guarulhos, Wesley Santana, de 27 anos, é um grande guerreiro, e vitorioso. Entre 2012 e 2013, venceu um linfoma gástrico (câncer de estômago). E, agora, em 2020, derrotou o coronavírus (Covid-19).

“Com o coronavírus achei que ia morrer ou ficar com alguma sequela, pois nunca senti tanta dor de cabeça em minha vida, tanta fadiga e falta de ar. Cheguei a avisar para minha esposa que iria morrer. Mas, graças a Deus, venci mais esta batalha”, contou.

A esposa de Wesley, Grazielle Santana, apresentou esta semana os sintomas do coronavírus, e está de quarentena em casa, no Jardim Bela Vista, aguardando o resultado dos exames.

Funcionário da Unidade Básica de Saúde (UBS) Pimentas, onde trabalha na recepção/administração, Santana passou a sentir calafrios, fadiga e dor de cabeça na segunda semana de março.

“Na ocasião, fui muito bem atendido pelo clínico da UBS que me afastou do trabalho, me orientando a acompanhar a evolução ou não dos sintomas em casa. Como eles evoluíram, retornei ao médico e, da UBS, fui transferido para o PA Dona Luíza. Depois fui de ambulância  para o Hospital Pimentas-Bonsucesso, onde fiquei isolado. Meus sintomas não eram tão graves e pedi para me cuidar em casa”, contou.

Antes de voltar para casa, uma das primeiras medidas que tomou foi enviar o filho de quatro anos para a casa dos avós. “A partir daí, me tratando em casa, veio a febre alta, muitas dores no corpo, vontade de ficar dormindo o dia inteiro. Minha esposa, que é funcionária de uma empresa que presta serviços ao Banco do Brasil e tem convênio médico, me colocou no carro e me levou para o hospital da Unimed Paulistana, em Santana, na zona norte de São Paulo. Lá, foi confirmado o que os médicos de Guarulhos já tinham diagnosticado: coronavírus”.

No oitavo dia de tratamento, Wesley observou que havia perdido o olfato e o paladar. Depois de muita medicação, repouso e isolamento social, depois do 15º dia, desde que sentiu os primeiros sintomas do Covid-19, ele saiu da cama. “Agora estou disposto. Curado. Só não recuperei o olfato e o paladar”.

Ainda um pouco debilitado (no início da doença, pesava 84 quilos, hoje está com 75,5 quilos), Wesley está cuidando da esposa e aguarda ansioso pelo resultado dos exames que ela realizou. E ainda administra a saudade do filho, do qual só conversa por chamadas de vídeo desde o mês passado. “Muita saudade de abraça-lo”, contou ao HOJE por telefone, neste sábado (4).

A LIÇÃO QUE FICA

Ao falar sobre os momentos que lutou contra o coronavírus, Wesley Santana se emociona. “Não é uma simples gripezinha. É algo muito sério. O Covid-19 mata. Muita gente está morrendo porque não acredita na doença. O isolamento social é muito importante”, disse.

Evangélico da Assembleia de Deus, Ministério do Belém, Wesley se agarrou à fé para lutar contra o Covid-19 e desta luta, tirou uma grande lição: “Minha vida é muito importante. É necessário batalhar o máximo por ela”.

Ele também falou o quanto é importante o apoio da família, mesmo à distância, e se emocionou com a solidariedade das pessoas. “Amigos deixavam alimentos e remédios na porta da minha casa. Isso mostra que ainda existe amor entre os seres humanos. Isso é maravilhoso. Vamos cuidar das pessoas que amamos, em especial dos nossos idosos”.